Cuca põe fim às baladas de sexta à noite

Acabou a farra no São Paulo para quem gosta de curtir uma danceteria ou um bar nas noites de sexta-feira, dia em que os jogadores adoram sair. A imposição está presente na cartilha do técnico Cuca, que quer ver seus jogadores em casa no máximo à meia-noite. "Como é que você vai chegar de madrugada em casa e treinar no dia seguinte pela manhã?" O atleta que chegar à sua casa após o horário determinado vai causar prejuízo para o grupo todo. A punição é simples. Na semana seguinte, o elenco terá de ficar concentrado no CT desde a noite de sexta-feira para o jogo de domingo e não apenas no sábado, como costuma ocorrer. Nesse caso, todos serão obrigados a dormir duas noites fora de casa. "O grupo é que vai cuidar desse jogador que cometer a infração. A disciplina é fundamental para a organização", explica Cuca. Mas como o treinador vai detectar quem passou a madrugada fora de casa? "Isso é fácil, há um monte de são-paulinos espalhados por aí, todo mundo fica sabendo." Cuca já havia colocado em prática essa regra no Goiás, pois sabe que os atletas abusam às sexta-feiras. O dia é ?conveniente?, porque os boleiros habitualmente vão para a concentração nas tardes de sábado, após treino pela manhã, e aproveitam o tempo ocioso, nos hotéis ou no próprio CT, para dormir bastante e recuperar o sono atrasado. "Eu tenho família, quero estar em casa na sexta à noite. Com os jogadores deve ser igual", diz o técnico são-paulino, mostrando cada vez mais o estilo Felipão de trabalhar. "Mas não estou aqui para prender ninguém, não quero ser Hitler, apenas ter cuidado com os excessos." Rogério Ceni já avisou que quem sair da linha vai ser castigado pelo restante do grupo. "Quem atrasar e me fizer concentrar dois dias antes do jogo vai sofrer." Cuca também não vai tolerar atrasos e multará os jogadores que não chegarem aos treinos na hora marcada. Quem perder meia hora terá de pagar à caixinha da equipe o valor equivalente ao de um dia de falta. "Já pensou vocês (repórteres) chegarem atrasados para fazer uma entrevista? Acha que alguém vai esperá-los?" Lado paizão - O sargentão do São Paulo tem, porém, seu lado bonzinho. Com o objetivo de motivar seus pupilos, Cuca anunciou que dará prêmios para quem se destacar nas partidas, como costumava fazer, por exemplo, Cilinho, técnico campeão paulista de 85. O melhor de cada jogo receberá um tênis, uma calça... "Valorizo a luta. Às vezes, eu saía de campo morto de cansado, depois de uma vitória, e ninguém falava nada, nem dava um tapinhas nas minhas costas."

Agencia Estado,

27 de janeiro de 2004 | 17h32

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.