Werther Santana/Estadão
Werther Santana/Estadão

Cuca prevê propostas, e Arboleda pode fazer últimos jogos pelo São Paulo

Zagueiro tem mais dois jogos pelo São Paulo antes de disputar a Copa América pela seleção equatoriana

Guilherme Amaro, O Estado de S.Paulo

25 de maio de 2019 | 04h30

Recuperado de um estiramento muscular na coxa esquerda sofrido na segunda rodada do Brasileirão, o zagueiro Arboleda deve voltar a ficar à disposição no São Paulo para o clássico contra o Corinthians, neste domingo, às 19h, em Itaquera. 

Arboleda tem mais dois jogos pelo São Paulo antes de apresentar-se à seleção equatoriana no dia 30 para a disputa da Copa América. Após o clássico, a equipe tricolor enfrenta o Bahia, na próxima quarta-feira, pela volta da Copa do Brasil.

A presença de Arboleda na Copa América desperta atenção do São Paulo, que prevê propostas pelo seu zagueiro durante a janela de transferências do meio do ano. A diretoria tricolor já avisou que pretende segurar os jovens, e o defensor pode ser vendido dependendo da oferta. O contrato dele é válido até o fim de 2021.

"O Arboleda tem 27 anos, vai fazer uma Copa América, com certeza vai fazer muito bem. Provavelmente venham propostas por ele, e isso passa a ser um problema da direção. Eles sabem o que é necessário e eu estou com eles seja qual decisão eles tomarem", afirmou o técnico Cuca.

Os empresários de Arboleda já receberam sondagens de clubes europeus. De acordo com o próprio jogador, "teve cinco ou quatro times da Itália, Alemanha e Espanha interessados". A expectativa é de que propostas oficiais cheguem após a participação do Equador na Copa América.

Mesmo com a chance de perder Arboleda, o São Paulo não vê urgência na reposição para a zaga. A comissão técnica aposta em dois jovens no setor: Walce, de 20 anos, aproveitou o desfalque de Anderson Martins e virou titular, enquando Morato, de 17, foi relacionado pela primeira vez na última quarta-feira. A defesa ainda conta com Bruno Alves, titular.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.