Sebastiao Moreira/Reuters
Sebastiao Moreira/Reuters

Cuca revela preleção de Pelé no Santos: 'Participou da conquista nos motivando'

Rei do futebol conversou com os jogadores antes da vitória sobre o Boca Juniors por 3 a 0

Redação, Estadão Conteúdo

13 de janeiro de 2021 | 22h56

A brilhante atuação que classificou o Santos à final da Copa Libertadores teve como motivação uma preleção muito especial. Após o triunfo por 3 a 0 sobre o Boca Juniors, o técnico Cuca revelou que Pelé conversou, por vídeo, com os jogadores na concentração da equipe para o segundo jogo das semifinais. E, por isso, dedicou o resultado ao Rei do Futebol.

"Agradeço ao Rei pelo que fez. Entrou ao vivo com o grupo na concentração. Como brasileiro falando, é o único orgulho que temos hoje, de falar que somos brasileiros pelo Pelé. Participou da nossa conquista nos motivando mesmo estando como ele está. É para você", afirmou o treinador após o duelo na Vila Belmiro.

Além de ter conversado com o elenco santista, Pelé também havia feio uma publicação no seu perfil no Instagram desejando sorte ao time na busca pelo quarto título da Libertadores. "Hoje, eu desejo que o passado desse clube cheio de história, pioneirismo e coragem para fazer o que nenhum outro fazia, sirva de inspiração. Pois eu sei que podemos criar ainda mais coragem para fazer tudo de novo. Eu acredito em vocês e vou torcer até o fim!", escreveu.

Cuca também voltou a comentar as dificuldades financeiras que o Santos tem enfrentado nos últimos meses. E disse esperar que a gestão recém-iniciada de Andrés Rueda consiga saná-las. Além disso, apontou que a classificação merece "comemoração dobrada" pelos desafios superados.

"A gente necessita do pagamento em dia. Temos que pagar nossas contas em dia também, e nem todos têm condição extra. Alguns meninos têm mais necessidade. Nova diretoria fará o possível para colocar Santos em ordem fora de campo", disse.

O treinador santista também fez questão de valorizar o comprometimento do elenco, assegurando que os jogadores têm se comportado como torcedores. "Eles fazem por amor. Em qualquer outra situação se rebelam, aqui é diferente. A gente vai para uma final e canta o hino, me boto no lugar de qualquer torcedor e estaria chorando", elogiou.

O Santos vai enfrentar o Palmeiras no dia 30, no Maracanã, na final da Libertadores. Até lá, vai ter compromissos pelo Campeonato Brasileiro, começando pelo próximo domingo, quando enfrentará o Botafogo, na Vila Belmiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.