Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Cuca se diz preocupado com Palmeiras e cobra vitória no sábado contra Fluminense

Treinador lamenta má fase, mas afirma que chance para reação é na próxima rodada, quando o time será mandante

Estadão Conteúdo

07 de junho de 2017 | 22h34

A derrota do Palmeiras para o Coritiba, nesta quarta-feira, pelo Campeonato Brasileiro, coloca pressão para o clube conseguir vencer na próxima rodada. Após perder por 1 a 0 no estádio Couto Pereira, em Curitiba, o time recebe neste sábado o Fluminense, no estádio Allianz Parque, em São Paulo, para aliviar a pressão sobre o treinador e conquistar o resultado positivo depois de quatro jogos sem vitória.

A equipe criou mais no primeiro tempo, mas depois do intervalo viu o adversário comandar o jogo e chegar ao gol da vitória com Matheus Galdezani. "Temos de ter equilíbrio e não achar culpado. Culpado é o treinador, que é quem escala. Eu e os jogadores ficamos muito frustrados, mas infelizmente acontece. Mas sábado tem de vencer", afirmou Cuca na entrevista coletiva.

Para enfrentar o Fluminense, Cuca espera contar com quatro jogadores que ficaram fora da partida em Curitiba por questões físicas: Dudu, Jean, Guerra e Edu Dracena. "Hoje (quarta-feira) tivemos muitas baixas. Pelo menos uma meia dúzia de jogadores importantes. Nem por isso perdemos qualidade. Tivemos o controle no primeiro tempo, mas tinha que fazer o gol", comentou. As outras duas baixas foram Mina e Borja, que estão na Espanha para a disputa de amistosos com a seleção colombiana.

A preocupação de Cuca com o rendimento do Palmeiras fez o treinador evitar apontar justificativas para o novo resultado negativo. O técnico descartou que o intenso calendário de jogos seja um obstáculo. "Não atribuo a isso. Não estamos jogando bem por culpa nossa mesmo porque nosso elenco é grande e forte. Jogamos domingo e quarta, mas com elenco forte, não é desculpa, não", disse.

A equipe tem agora quatro pontos em cinco rodadas e continuará desfalcado neste fim de semana, pois Mina e Borja só retornam ao Brasil na próxima semana e, possivelmente, ficarão fora também do clássico contra o Santos, no estádio da Vila Belmiro, em Santos, na próxima quarta-feira. "A nossa situação é ruim. É lógico que preocupa", resumiu o treinador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.