Cuca se recusa a admitir fim do sonho da Libertadores

'Ainda há chance matemática e vamos continuar lutando', avisa o técnico do Botafogo

29 de outubro de 2007 | 21h32

O empate por 1 a 1 contra o Juventude, em Caxias do Sul, praticamente sepultou os sonhos botafoguenses de salvar o frustrante ano com uma classificação para a Libertadores do ano que vem. Os matemáticos contabilizam apenas 1% de probabilidade de o time, atualmente em oitavo lugar com 46 pontos, conseguir o feito. O técnico Cuca, porém, se apega à pequena possibilidade. "Ainda há chance matemática e vamos continuar lutando. Fizemos um ótimo primeiro tempo e tivemos o jogo nas mãos. Perdemos dois pontos", lamentou o treinador sobre o jogo no Rio Grande do Sul. O lance decisivo foi uma falha terrível do goleiro Roger, que jogou com uma lesão no ombro esquerdo e cedeu o empate em cobrança de falta, num lance em que a bola quicou à sua frente. De quebra, o camisa 1 contratado para resolver o problema do alvinegro no gol recebeu o terceiro cartão amarelo e não poderá enfrentar o Cruzeiro, no Engenhão, na quinta-feira. "A bola desviou depois de quicar no gramado ruim. Não sou Jesus Cristo, não sou perfeito", desabafou Roger após o jogo.

Tudo o que sabemos sobre:
Botafogo-RJBrasileirão Série A

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.