Daniel Teixeira|Estadão
Daniel Teixeira|Estadão

Cuca será julgado nesta quinta e pode pegar seis jogos de suspensão

Técnico utilizou ponto eletrônico na partida contra o Fluminense

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

30 de maio de 2016 | 20h00

O técnico Cuca será julgado nesta quinta-feira, às 11h, pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) , e corre o risco de pegar de um a seis jogos de suspensão pela utilização de ponto eletrônico na vitória do Palmeiras por 2 a 0 sobre o Fluminense, no Allianz Parque.

O fato não foi citado na súmula do jogo pelo árbitro Sandro Meira Ricci, mas a Procuradoria da Justiça Desportiva denunciou o treinador e seus auxiliares Alberto Valentim e Cuquinha, já que ambos estavam se comunicando com Cuca durante a partida. O treinador estava no camarote da arena, já que havia sido expulso na partida contra a Ponte Preta e por isso não poderia ficar no banco de reservas.

O técnico e seus auxiliares foram denunciados pelo STJD e serão julgados pelo artigo 191, incisos II e III, e no artigo 258, ambos do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD) - deixar de cumprir ou dificultar o cumprimento do regulamento, geral ou especial, da competição. Além da suspensão, eles ainda podem pagar uma multa que varia de R$ 100 a R$ 100 mil.

Quem também vai a julgamento é o gerente de marketing Eduardo Vicente da Silva, que foi retirado do gramado por estar com um rádio comunicador. Segundo ele, sua intenção era ajudar no controle para evitar que algum torcedor atirasse objetos no gramado. Eduardo responderá pelo artigo 258, que fala em “assumir qualquer conduta contrária à disciplina ou à ética desportiva não tipificada pelas demais regras deste Código” e também pode ser suspenso por até seis jogos.

Caso receba alguma multa, Cuca começará a pagar a pena a partir do jogo com o Flamengo, domingo, em Brasília. Na quinta-feira, ele comandará normalmente o time contra o Grêmio, no Pacaembu. 

 

Tudo o que sabemos sobre:
PalmeirasFutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.