Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Cuca tem mais medo do juiz que do Táchira

Gilberto Hidalgo, árbitro peruano, preocupa mais Cuca do que as qualidades técnicas do Deportivo Táchira, adversário desta quarta-feira às 21h45, em San Cristóbal, por uma vaga para as semifinais da Libertadores da América. O São Paulo pode perder por dois gols de diferença, mas Hidalgo tira o sono de Cuca. "Tecnicamente, ele não é bom e além disso, aceita pressões dos jogadores do Táchira", diz o técnico. Hidalgo apitou o jogo Deportivo Táchira 3 x Nacional do Uruguai 0 e expulsou Romero e Morales, do Nacional. "Essas expulsões acabaram com os uruguaios", diz Cuca. Não é o que afirma o jornalista Luis Inzaurralde, do jornal El Observador, de Montevidéu. "Os jogadores deveriam ter recebido dois cartões vermelhos cada um, tão violentos foram. Morales foi tomado por um acesso de raiva e chutou três vezes a um jogador caído no chão. E Romero deu uma cotovelada em outro jogador. Tinham de ser expulsos mesmo e além disso, o jogo já estava 2 a 0 para o Deportivo Táchira." Na verdade, o técnico do São Paulo gostaria que seus jogadores tivessem um pouco da fibra que se vê pela América do Sul. "Quando o pessoal do Táchira sofre uma falta, corre para cima do árbitro. Nós, não. O Héber Roberto Lopes não deixou a gente bater a falta no último minuto de jogo e todo mundo ficou quieto, trocando camisa com o pessoal do Cruzeiro. Precisei ir lá falar com ele. Não pode ser assim. Tem de reagir à essas situações." Difícil, quando se tem jogadores "gelados" como Danilo, Marquinhos, Souza, Vélber e outros. Renan, que estreou domingo parece ser diferente. Mesmo com apenas 19 anos, aproveitou para reclamar de sua exclusão da Libertadores. "Fui tirado da lista sem nunca ter uma chance de jogar. Fiquei aborrecido, mas espero novas chances no time titular." Cuca, que elogiou Renan, tratou de "abaixar a bola" do jogador. "Não é porque jogou bem 45 minutos que ele continuaria no time. Tem de jogar mais, antes de reclamar de alguma coisa.? Marquinhos está fora do jogo. "Está muito abaixo de seu rendimento e ficará no banco. Ainda não sei quem joga", diz Cuca. Pode ser Lugano, montando-se o esquema com três zagueiros. Uma indicação disso é que Edcarlos, zagueiro, também viajou. Pode ser Ramalho ou Gustavo Nery, possibilitando a entrada de Fábio Santos. Com um ou com outro, o São Paulo terá alguns cuidados no jogo. "Não podemos ceder o primeiro gol. Se isso acontecer, eles vão crescer, a torcida vai se entusiasmar e até o árbitro vai vacilar." E como não tomar gols? Cuca tem exigências simples a seus jogadores: 1) Terminar o jogo com onze em campo, evitando expulsões a qualquer custo, como a de Fábio Simplício contra o Rosario Central. 2) Não permitir o contra-ataque, como também aconteceu, aos 43 minutos do segundo tempo, na derrota por 1 a 0 para o Rosario e 3) ficar o máximo de tempo com a bola nos pés. Outra orientação de Cuca é ter jogadores altos em campo, evitando o jogo aéreo do Táchira. Assim, seguindo a cartilha, acredita voltar de San Cristóbal com a vaga.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.