Cuca tem problemas para escalar Santos contra o Figueirense

Além do goleiro Fábio Costa, que ficará cerca de 20 dias afastado, time pode ter outros cinco desfalques

Redação,

15 de julho de 2008 | 15h41

Não bastasse a situação ruim da equipe no Campeonato Brasileiro (19º colocado, com apenas oito pontos em 11 jogos, na zona de rebaixamento), o técnico Cuca tem vários problemas para escalar o Santos que entrará em campo na próxima quarta-feira, às 20h30, contra o Figueirense em Florianópolis (SC).Veja também: Sem opções, Cuca troca treino por conversa no Santos Santos apresenta oficialmente Nelson Cuevas e FabianoO principal desfalque do time será o goleiro Fábio Costa, que sofreu uma lesão na coxa esquerda durante os treinamentos e ficará de duas a três semanas. Ele será substituído por Felipe, que segundo Cuca está treinando muito bem. Com isso, Douglas continuará no banco de reservas."Todos aqui são bons goleiro. Não gostamos de perder o Fábio, mas isto ocorre e é assim que vemos a força do grupo", assinalou o treinador.Outras dúvidas da equipe para o jogo pelo Brasileirão são o zagueiro Fabão, que tem uma lesão no tornozelo e deve ficar na reserva, o lateral-direito Apodi, que está com o tornozelo inchado, o meia Michael, com dores na panturrilha, o defensor Fabiano Eller, que sofreu uma pancada na coxa, e o meia Robinho, que voltou a sentir um problema muscular no segundo tempo do confronto de domingo contra o Botafogo.Com todos estes problemas, Cuca sequer conseguiu realizar o treinamento coletivo desta terça-feira, antes do embarque para Santa Catarina.CONFIANTEApesar de ainda não ter conquistado sua primeira vitória no comando do Santos, o técnico Cuca segue mostrando confiança na equipe. "Tenho conversado muito com a diretoria e o grupo aqui está fechado, sei que a qualquer momento vai reagir, todos estão muito empenhados para levantar o Santos", declarou.O treinador fez questão de lembrar o caso do Goiás, comandado por ele em 2003. No Brasileirão daquele ano, o time goiano chegou a estar em último lugar e seu rebaixamento era dado como certo, mas a equipe conseguiu se recuperar no segundo turno e terminou a competição longe da zona de risco.Para Cuca, o time tem evoluído a cada jogo. " Estamos jogando relativamente bem em alguns jogos, mas não conseguimos as vitórias almejadas. Precisamos ter mais regularidade", destacou.O comandante ainda ressaltou a preocupação do presidente do clube, Marcelo Teixeira. "Ele é muito fiel ao que ele pensa. É uma pessoa muito boa e eu o conheço de 15 anos atrás. Não vencemos o Grêmio e o Botafogo, mas ele pagou a premiação mesmo assim, e o grupo, por sua vez, pegou a premiação e a passou para uma instituição de caridade, mostrando o caráter do grupo, o que me dá alento, pois este grupo é bom e vai se recuperar". (Com informações de Sanches Filho - O Estado de S.Paulo)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.