Cuca vai exigir liderança de Ricardinho

O período de festas nada significou para Cuca. O novo treinador do São Paulo trabalhou muito. Conversou muito com Rojas e Milton Cruz projetando o novo time. E chegou a várias conclusões. Entre elas cobrar que Ricardinho exerça a liderança que ele não assumiu em 2003. Cuca soube também das duas novidades: que o clube está muito próximo de fechar o último jogador pedido por ele, o volante Josué do Goiás. E que o São Paulo fará sua estréia na Libertadores no dia 11 de fevereiro contra o Alianza em Lima. "Conversamos muito com o Cuca. Gostou das informações que eu e o Rojas passamos. O perfil do time já está definido para o próximo ano.Será guerreiro. O Ricardo será importante na briga pela Libertadores", revela Milton Cruz. Cuca tentará fazer com que Ricardinho readquira o prazer de jogar pelo São Paulo. Os seguidos atrasos de salários e luvas e as cobranças públicas o desgataram com a diretoria e, principalmente, com o presidente Marcelo Portugal Gouvêa. O empresário Todé Monteiro tentou encaixar o meia em uma equipe da Espanha, mas não conseguiu. Representantes de clubes como o Flamengo e Santos procuraram o atleta, mas empresários que o compraram do Corinthians só aceitam negociá-lo pelo que pagaram - US$ 4 milhões. A quantia é considerada irreal para equipes nacionais. "O Cuca irá apoiar o Ricardo. Não quer que ele saia do São Paulo. Vai dar tudo certo", aposta Milton Cruz. O novo treinador já acertou com a diretoria que irá trabalhar com seus dois auxiliares do Goiás. Se aceitarem terem seus salários rebaixados, Milton Cruz será observador de equipes adversárias e Rojas reassumirá o posto de preparador de goleiros. Em relação a Josué, os contatos estão muito próximos de ser finalizados. O volante tem 24 anos e sempre atuou no Goiás. O novo treinador do clube do Planalto Central, Ivo Wortmann, não queria que deixasse o elenco. Só que o atleta insiste em seguir os passos de Danilo, Fabão e Grafite. A outra opção para a posição era Tinga. Mas Josué se mostrou mais fácil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.