Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Cuca volta a pedir a chegada de reforços ao Palmeiras

'Se puder ficar mais forte, a chance de ganhar é maior', disse o treinador

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

13 de julho de 2016 | 09h49

O fato de contar com 34 jogadores em seu elenco não parece satisfazer o técnico Cuca. Após o empate por 1 a 1 com o Santos, terça-feira, no Allianz Parque, ele voltou a pedir a chegada de reforços ao Palmeiras, algo que já fez em outras situações.

"Nós temos muitos jogadores em uma característica e algumas necessidades em outra característica. Sempre falo que, se você puder ficar mais forte, a chance de ganhar é maior. Estou contente com meu grupo, mas se a gente puder dar uma fortalecida antes do fechamento da janela é bom", disse o treinador.

Após o jogo de domingo, contra o Internacional, Cuca terá que montar o time, principalmente no ataque, de forma diferente, já que não terá o atacante Gabriel Jesus, convocado para a seleção olímpica e que se apresentará ao técnico Rogério Micale na próxima segunda-feira.

"Vai mudar, né? (estilo de jogo). Vamos buscar no nosso elenco as alternativas de velocidade. Temos o Erik, que jogou e não temos mais outra. A gente usou as armas que tinha. Temos que conversar, esperar e se organizar. Às vezes, um tropeço é natural. E vamos conversar com o presidente e com o Mattos para dar uma avaliada no plantel. Tudo o que fizemos de bom e o que podemos melhorar. Lesões vem, desfalques vêm e ainda tem a Olimpíada", disse o treinador.

Para o jogo com o Inter, o treinador pode contar com os retornos dos atacantes Gabriel Jesus e Róger Guedes e do volante Thiago Santos. Por outro lado, o meia Moisés está suspenso pelo terceiro cartão amarelo e também se recupera de lesão muscular. Já o zagueiro Mina, que saiu do clássico machucado, passará por exames para saber a gravidade da lesão, mas dificilmente terá condições de atuar no domingo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.