Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Cueva lamenta oscilação, mas vê ano positivo pelo São Paulo: 'Nunca me escondi'

Meia peruano foi um dos destaques do time sob o comando de Rogério Ceni, mas se machucou e demorou a encontrar a boa fase

Estadão Conteúdo

16 de dezembro de 2017 | 12h58

Com o fim de ano chegando, o meia Cueva fez um balanço de seu desempenho em 2017 e garantiu ter ficado satisfeito, mesmo com as oscilações. O peruano começou a temporada como grande destaque do São Paulo, sofreu com problemas físicos e chegou a perder espaço no time titular no Brasileirão. Mas garantiu: "Nunca me escondi".

+ Leia mais notícias sobre o São Paulo

+ Com Raí, São Paulo volta a investir em conversas com o Fluminense por Scarpa

+ São Paulo acerta novo contrato com volante Jucilei até 2021

"Teria sido um ano ainda melhor se nossa equipe tivesse brigado pela parte de cima da tabela, mas estou feliz porque trabalhei forte para ajudar os meus companheiros. Comecei muito bem o ano. Depois, tive uma lesão e não consegui repetir o rendimento. Mas nunca me escondi e valorizo isso. Na reta final, em um momento decisivo, felizmente consegui ajudar os meus companheiros novamente", considerou, em entrevista ao site do clube.

Cueva era um dos grandes destaques do São Paulo sob o comando de Rogério Ceni, apesar dos maus resultados. Um problema na coxa esquerda, no entanto, o tirou de ação por alguns jogos, e ele não retornou na mesma forma. Somente na reta final do Brasileirão, recuperou o destaque e ajudou na fuga do rebaixamento.

Mas 2017 ficará mesmo marcado pelo jogador por ter ajudado seu país a voltar a uma Copa do Mundo. No ano que vem, na Rússia, o Peru disputará novamente uma Copa do Mundo depois de 36 anos. "Foi uma emoção grande conseguir este feito com o meu país. Realizamos o sonho da nossa nação. Foi um marco não só para o futebol peruano, mas para toda a nação", disse.

E por mais que não esconda a ansiedade de estar no Mundial, o meia garantiu foco no São Paulo no primeiro semestre de 2018. "Até viajar, minha cabeça estará no São Paulo. Depois, penso na seleção", afirmou Cueva.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.