Zurab Kurtsikidze/EFE
Zurab Kurtsikidze/EFE

Cúper diz que Egito buscará vitória em despedida da Copa para dar alegria ao país

Equipe africana, que terá pela frente a Arábia Saudita, nunca venceu na história da competição

Estadão Conteúdo

24 Junho 2018 | 11h10

Já eliminada da Copa do Mundo na Rússia, a seleção do Egito treinada por Hector Cúper quer ganhar no último jogo da primeira fase e voltar para casa com o gosto da vitória, que seria a primeira do país em Mundiais. A equipe adversária será a Arábia Saudita, às 11 horas (de Brasília) desta segunda-feira, em Volgogrado.

+ Inglaterra faz 6 a 1 no Panamá e Kane assume a artilharia da Copa do Mundo

+ Identificado, brasileiro preso na Rússia aguardará extradição em São Petersburgo

+ Técnico russo diz não ter preferência entre pegar Portugal ou Espanha nas oitavas

"É uma partida muito importante porque queremos vencer e terminar com um bom resultado. Nós nos preparamos bem, queremos representar o povo egípcio e fazê-los felizes com uma vitória", disse o treinador argentino em coletiva de imprensa concedida neste domingo, em Volgogrado.

A primeira participação do Egito em Copas foi em 1934, quando o torneio foi disputado por 16 seleções e já começava nas oitavas de final. Na ocasião, a seleção egípcia foi derrotada por 4 a 2 pela Hungria e caiu naquele Mundial logo na estreia. Os egípcios só disputaram uma edição de novo em 1990, mais uma vez na Itália, e foram eliminados na primeira fase após dois empates, com Holanda e Irlanda, e um revés para a Inglaterra no Grupo F.

Na atual Copa do Mundo, o Egito segurava um empate por 0 a 0 com o Uruguai até os 44 minutos do segundo tempo, quando José María Gímenez fez o gol da vitória uruguaia, no dia 15, em Ecaterimburgo. Em seguida, a seleção egípcia perdeu por 3 a 1 para a Rússia, na terça-feira, em São Petersburgo.

 

Sobre os rumores de que existe um racha interno no grupo de jogadores do Egito, Cúper foi enfático ao negar. "As pessoas dizem um monte de coisas no futebol. Já escutei de tudo. Pergunto se há provas disso. Se não, para mim essa pergunta nem cabe. Tenho uma equipe com uma convivência extraordinária, por isso chegamos até aqui", afirmou o treinador, que classificou a seleção egípcia para o primeiro Mundial desde 1990.

Ausência na estreia do Egito, Mohamed Salah treinou sem limitações neste domingo e deve ser escalado de novo como titular nesta segunda-feira. O atacante disputou toda a partida contra a Rússia e fez o gol da seleção egípcia na derrota por 3 a 1, em cobrança de pênalti.

Sobre o desempenho do Egito nas duas partidas, Cúper minimizou as críticas ao trabalho dele. "Não tenho uma mensagem a essas pessoas. Não me deixa com raiva, faz parte do futebol. Se você não puder lidar com isso, precisa procurar outro emprego. O que posso dizer é que, às vezes, pessoas têm ambições irreais", comentou.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.