Ivan Storti / Santos FC
Ivan Storti / Santos FC

Cuquinha lamenta '1º tempo horrível' e gol sofrido no último lance: 'Dor enorme'

Auxiliar técnico comandou o Santos no jogo com o Red Bull Bragantino por conta do irmão ter pego covid-19

Redação, Estadão Conteúdo

08 de novembro de 2020 | 22h41

O Santos deixou dois pontos escaparem por entre os dedos neste domingo ao ceder o empate por 1 a 1 ao Red Bull Bragantino, em Bragança Paulista (SP), já no último lance do jogo pelo Campeonato Brasileiro. Resultado com gosto de derrota para o auxiliar Cuquinha, responsável por comandar a equipe alvinegra no lugar do técnico Cuca, vetado após teste positivo para o novo coronavírus.

"Em qualquer empate do jeito que foi, a dor é enorme. Tomar um gol aos 49, aos 50 minutos de jogo é inadmissível. A gente precisa trabalhar mais, trabalhar a cabeça para isso não acontecer", declarou o assistente em entrevista coletiva após o jogo.

O empate, apesar de amargo, foi de certa forma condizente com o futebol apresentado pelo Santos na partida. Especialmente na etapa inicial, o time alvinegro sofreu para segurar o Red Bull Bragantino e não criou praticamente nada no ataque.

"O primeiro tempo foi horrível, muito abaixo. Os próprios jogadores se cobraram no intervalo porque não é normal fazer um primeiro tempo tão ruim. A gente só torcia para terminar logo e poder corrigir no vestiário. Depois melhorou um pouco. Não que tenha sido um grande segundo tempo, mas tivemos o controle e fomos penalizados no fim", avaliou.

Com o desempenho do primeiro tempo, Cuquinha promoveu três mudanças ainda no intervalo sacando Jean Mota, Arthur Gomes e Madson. Na entrevista, ele defendeu os jogadores substituídos. "As mudanças foram para mudar principalmente a nossa postura, que não foi boa no primeiro tempo. Se eu pudesse, trocaria até mais. Mas é do dia, isso acontece, ninguém entra em campo para jogar mal. Apenas não nos encontramos em campo", justificou.

Sobre o estado de saúde do irmão, Cuquinha já havia tranquilizado os torcedores antes da partida em entrevista ao canal Premiere. "O Cuca está se recuperando. Está bem", resumiu o auxiliar do Santos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.