Dagoberto avisa que será difícil o Flu vencer no Maracanã

'Quando o bicho pega, é difícil de ganhar da gente; vai ser assim lá no Rio de Janeiro também', diz o são-paulino

Amanda Romanelli e Giuliander Carpes, O Estado de S. Paulo

15 de maio de 2008 | 00h39

Apesar do resultado não ter garantido ao São Paulo nenhuma vaga por antecipação para a semifinal da Libertadores, o atacante Dagoberto ficou bastante empolgado com a atuação da equipe. "Quando o bicho pega, é difícil de ganhar da gente. Vai ser assim lá no Rio de Janeiro também", disse o jogador, um dos destaques do jogo e que saiu muito aplaudido pela torcida. Veja também: São Paulo derrota Fluminense pelas quartas da Libertadores Adriano saudou a atuação do time como a melhor da temporada. "Foi o nosso melhor jogo", afirmou. "Conseguimos jogar com rapidez e chegar ao gol com maior facilidade". Em sua primeira partida depois da lesão do tornozelo, no dia 30 de março, o atacante Aloísio, que entrou na vaga de Dagoberto, lembrou do passado recente do time para dar tranqüilidade ao torcedor para o jogo de volta. "Somos campeões do mundo, duas vezes brasileiro em seqüência. O São Paulo é isso", contou. "Vai ser muito difícil para eles reverterem esse resultado no Rio". O volante Hernanes foi o mais cauteloso jogador do São Paulo a se pronunciar depois do jogo. "A vantagem é pouca, mas ela existe. Tínhamos a meta de não tomar gols em casa e isso aconteceu", explicou. Nesta quinta-feira, a equipe já se reapresenta e começa a pensar no jogo de domingo contra o Atlético Paranaense, em Curitiba. À noite, o técnico Muricy Ramalho ficará de olho no jogo do Santos contra o América, na Cidade do México. Se ambos passarem à semifinal, farão um confronto direto e o treinador são-paulino já deixou claro que prefere um adversário caseiro a ter que enfrentar viagens longas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.