Dagoberto consegue dar a volta por cima em sua carreira

'Sempre sonhei em jogar no São Paulo e viver um momento vitorioso como este', diz o atacante

Giuliano Villa Nova, Estadão

30 de outubro de 2007 | 20h08

Dagoberto jamais esquecerá o ano de 2007. O atacante começou a temporada em baixa, afastado do time do Atlético-PR e recuperando-se de uma lesão. Passava mais tempo nos tribunais, em razão da disputa judicial com o clube, do que nos gramados. Tudo começou a mudar quando conseguiu deixar Curitiba, depois de uma longa batalha jurídica.Era o que o São Paulo precisava para contratá-lo e apostar no seu futebol. "Sempre sonhei em jogar no São Paulo e viver um momento vitorioso como este", conta Dagoberto, desejo antigo do presidente Juvenal Juvêncio. "Minha maior alegria é poder, todos os dias, mostrar meu trabalho e dar alegrias para a torcida."  É certo que o atacante de 24 anos ainda não desempenhou tudo o que se espera dele. Teve lampejos de craque ao longo do ano, como na histórica vitória sobre o Boca Juniors, por 1 a 0, pela Copa Sul-Americana. Mas sabe que ainda pode render mais. "Meu futebol vai fluir ainda melhor conforme o entrosamento com os companheiros aumentar", opina. "Sei que ainda não sou ídolo da torcida, porque esta é uma posição que se conquista, e ainda tenho muito a crescer no São Paulo." Para atingir o nível de excelência que se espera dele, Dagoberto conta com o apoio dos amigos, como o atacante Aloísio, que o conhece desde a época em que atuaram juntos em Curitiba. "Ele é um ótimo jogador e aos poucos vamos conseguir o entrosamento", aposta Aloísio. "Sempre fazemos tudo para que o São Paulo vença e, assim, as coisas estão dando certo: ele fez gols importantes, eu também fiz alguns", observa. A poucas horas do jogo com o América-RN, Dagoberto não esconde que está ansioso por conquistar o principal título da carreira -  estava na reserva do Atlético-PR em 2001, quando o clube foi campeão nacional. "Esse sentimento é normal. Mas que time não gostaria de estar no nosso lugar?", questiona o atacante. "Estamos preparados para esse momento decisivo e não vamos decepcionar", garante. Depois de tantas reviravoltas ao longo de 2007, Dagoberto não titubeia em apontar qual sua principal conquista: o fim das brigas judiciais, ou o título brasileiro ? "O campeonato, com certeza. Aquela fase foi muito ruim, foi um aprendizado, mas já virei essa página", observa.  "Acredito que quem faz o bem, recebe o bem de volta. E é por isso que tantas coisas boas têm acontecido comigo", diz.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.