Reprodução Twitter Internacional
Reprodução Twitter Internacional

Damião festeja 'volta para casa' e Camilo destaca ídolo no Inter

Jogadores chegam para ajudar na campanha da Série B do Brasileiro

Estadão Conteúdo

24 de julho de 2017 | 22h06

Apresentados como novos jogadores do Internacional no início da noite desta segunda-feira, poucas horas depois de terem sido oficializados pelo clube como reforços, o atacante Leandro Damião e o meia Camilo festejaram suas chegadas ao time gaúcho. Velho conhecido da torcida colorada, pois defendeu a equipe anteriormente com sucesso entre 2010 e 2013, Damião garantiu que, desde a primeira vez em que foi procurado pela diretoria do Inter, expressou seu desejo de retornar ao Beira-Rio.

"É um momento ímpar pra mim, estou voltando pra casa", enfatizou o atacante, que foi campeão da Copa Libertadores, da Recopa Sul-Americana e de três edições do Campeonato Gaúcho em sua primeira passagem pelo clube, tendo marcado pelo time um total de 90 gols. "Eu quis vir para o Inter. Desde o primeiro contato, manifestei a minha vontade, apesar de estar muito bem no Flamengo, aproveitando as oportunidades. Mas falei para o pessoal de lá que era uma grande oportunidade, e eu quero ajudar o Inter nessa situação. Tenho certeza que faremos um grande ano e vamos recolocar o Inter no lugar de onde nunca devia ter saído", completou Damião, confiante, em entrevista coletiva durante a sua apresentação oficial, na qual vestiu a camisa número 22.

Ainda vinculado ao Santos, clube que defendeu de forma decepcionante em 2014, o atacante deixou o Flamengo e assinou contrato de empréstimo para defender o Inter até junho de 2018, enquanto Camilo selou acordo para atuar pela equipe gaúcha até julho de 2019 após ter sido contratado junto ao Botafogo.

E, na sua chegada, o meio-campista exaltou D'Alessandro como ídolo colorado e afirmou que irá melhorar como jogador ao passar a atuar ao lado do argentino. "Estou muito feliz de vestir essa camisa, vou fazer o meu melhor. Não pensei duas vezes, é um grande desafio e uma grande oportunidade na minha carreira. Venho com muita fome de ajudar e mostrar meu futebol", disse o atleta, apresentado com a camisa número 21. "Venho para aprender com o D'Alessandro. É um ídolo e tem que ser preservado em todos os times. Jogamos na mesma posição, mas podemos fazer uma dupla de acordo com o que a comissão técnica preferir", reforçou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.