Rciardo duarte/SC Internacional
Rciardo duarte/SC Internacional

Damião revela que tomou injeção para encarar o São Paulo: 'Hora do sacrifício'

Centroavante do Internacional se ressentia de um problema na coxa direita antes da partida do fim de semana

Estadão Conteúdo

17 Outubro 2018 | 16h26

Autor de dois gols do Inter na vitória por 3 a 1 sobre o São Paulo, no último domingo, no Beira-Rio, Leandro Damião revelou nesta quarta-feira, em entrevista coletiva, que precisou recorrer ao uso de uma injeção com medicamento para poder aliviar as dores na coxa direita e atuar no confronto em que o time gaúcho se garantiu na vice-liderança do Campeonato Brasileiro, com 56 pontos, três atrás do líder Palmeiras.

"Tomei injeção para poder ir para o último jogo. Estava com dores. Agora é a hora do sacrifício. São nove jogos e nove decisões que temos até o final do campeonato", ressaltou o atacante, que anteriormente sofreu com outras lesões que o atrapalharam no início desta temporada.

Ao falar sobre o assunto, Damião enfatizou que tem se empenhado ao máximo para estar em boas condições físicas nas partidas do Inter. "Sou um cara que tento me dedicar ao máximo. Venho em dois períodos toda a semana para fazer todos os treinamentos. Consegui, me senti bem, fiz as coisas sem dores que me atrapalharam muito neste ano", lembrou.

O atacante conversou com os jornalistas depois do treino que o elenco colorado realizou na manhã desta quarta-feira e visou o jogo da próxima segunda, contra o Santos, às 20 horas, no Beira-Rio, no fechamento da 30ª rodada do Brasileirão. Será um novo reencontro do jogador com o seu ex-clube, sendo que ele ainda é jogador do Santos e só encerrará o vínculo com a equipe paulista no final do ano.

Protagonista de uma transação de cerca de R$ 40 milhões quando deixou o mesmo Inter no em dezembro de 2013, Damião teve passagem fracassada pela equipe santista, que ele só defendeu em 2014 antes de atuar por empréstimo por Cruzeiro, Betis, da Espanha, e Flamengo. E também está jogando com o mesmo tipo de contrato pelo Inter, clube em que anteriormente despontou no futebol profissional e pelo qual atuou entre 2010 e 2013.

E Damião revelou nesta quarta que chegou a atuar com o seu púbis em condições muito ruins durante a sua breve trajetória pelo Santos, clube com o qual entrou em atrito na Justiça, alegando atrasos de salários e pediu outras verbas trabalhistas. "Já enfrentei o Santos duas vezes, eu acho. É um clube pelo qual eu tenho todo respeito, independente das pessoas com as quais tive problemas lá. Joguei com o púbis arrebentado. Mas tenho muitos amigos no Santos, seguranças, massagistas...", disse o atleta, assegurando que ainda existe respeito entre as partes.

FORÇA NO BEIRA-RIO

Dos nove jogos que restam para o Inter no Campeonato Brasileiro, cinco serão disputados no Beira-Rio. E Damião aposta na força da torcida colorada para o time ir em busca do título nacional, que não conquista desde 1979. "Temos de aproveitar o fato de jogarmos em casa, diante do nosso torcedor, em um campo que é um tapete para somar o máximo de pontos", disse o jogador na coletiva desta quarta.

Damião festeja a boa fase, após sofrer com as lesões, e destacou também o papel do argentino D'Alessandro e do uruguaio Nico López. "O D'Alessandro motiva todo mundo. Já está veterano, mas tem um grande entusiasmo em todas as partidas", disse o atacante sobre o meia de 37 anos. Sobre López, enfatizou: "Ele dá carrinho, coisa que ele não precisa fazer. Trata-se de um jogador diferenciado, muito bom tecnicamente. Ele é muito dedicado".

Depois de pegar o Santos, a equipe gaúcha vai receber em seu estádio, nesta reta final de sua campanha, Atlético-PR, América-MG, Atlético-MG e Fluminense. Em 14 partidas em casa, o time gaúcho ainda não perdeu no torneio. São 11 vitórias e três derrotas.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.