Juventus/Site Oficial
Juventus/Site Oficial

Daniel Alves afirma que dirigentes do Barça foram 'falsos e mal-agradecidos'

Lateral acha que não foi reconhecido pelo clube e por isso escolheu ir para a Juventus

O Estado de S.Paulo

20 Fevereiro 2017 | 10h04

Mesmo longe do Barcelona há mais de seis meses, Daniel Alves ainda mostra ressentimento da forma como deixou o clube catalão. Em entrevista ao jornal ABC, o lateral brasileiro acusou os atuais dirigentes da equipe de não terem ideia de 'como tratar a seus jogadores' e os chamou de 'falsos e mal-agradecidos'.

"Tive sorte de sair do Barcelona de graça. Durante as minhas três últimas temporadas sempre se escutava que Alves iria embora, mas os dirigentes nunca me diziam nada na cara. Foram muito falsos e mal-agradecidos. Não tiveram respeito comigo."

Daniel Alves ganhou seis títulos do Campeonato Espanhol, quatro da Copa do Rei e outros quatro da Supercopa da Espanha. Em nível internacional, foi tri da Liga dos Campeões, do Mundial de Clubes e da Supercopa da Europa. No total, foram 23 taças, entre 2008 e 2015.

O jogador revelou que recebeu uma proposta para seguir na equipe apenas quando o clube foi punido por transferências ilegais e proibido de contratar pela Fifa. "Recebi uma oferta para renovar meu contrato apenas quando o clube acabou sendo punido pela Fifa. Foi aí que eu assinei um contrato com uma cláusula de rescisão. Quem dirige o Barcelona atualmente não tem a mínima ideia de como tratar os jogadores".

Depois de passagem também vitoriosa pelo Sevilla, da Espanha, o brasileiro também explicou a escolha por assinar pela Juventus e ir para o futebol Italiano. "Queria sair da minha zona de conforto e competir em alto nível em um clube histórico e vencedor. Porque sou muito vencedor e a Juventus também é. É uma instituição que sempre tem algo a lhe ensinar. Que sempre compete. Assim que sou feliz e tenho novos e bonitos desafios nesta grande equipe".

CRISTIANO RONALDO

Durante a entrega da Bola de Ouro de 2015, Cristiano Ronaldo não cumprimentou Daniel Alves. O lateral explicou que o fato foi motivado por uma declaração sua, que acabou sendo mal interpretada. "Quando eu disse que ele ao ser protagonista de forma demasiada, que quando ganha se vai destacar, mas quando perde vão te culpar, eu disse de uma maneira muito respeitosa. Eu penso o mesmo de Messi ou Neymar. Mas não tem nada de danificar a imagem na minha reflexão. A imprensa vendeu de outra maneira, dizendo que eu tinha falado mal dele e Ronaldo acreditou. Por isso não me cumprimentou na Bola de Ouro de 2015. Eu não preciso falar de ninguém para sair nos jornais".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.