REUTERS/David Mdzinarishvili
REUTERS/David Mdzinarishvili

Daniel Alves acerta retorno ao Barcelona com aval de Xavi: 'Good Crazy'

Técnico espanhol acredita que lateral brasileiro pode contribuir com experiência e competitividade ao jovem elenco do Barça

Redação, O Estado de S.Paulo

12 de novembro de 2021 | 17h25
Atualizado 12 de novembro de 2021 | 18h21

Xavi e Daniel Alves vão se reencontrar no Barcelona em janeiro, com a abertura da janela de transferências. O ex-jogador e agora técnico deu sinal verde pela contratação do lateral, sem clube desde setembro após a conturbada saída do São Paulo. O brasileiro vai receber um salário condizente com a situação financeira do clube catalão. Xavi acredita que a experiência e a competitividade de Daniel Alves,de 38 anos, serão importantes para ajudar o jovem elenco do Barça. O contrato é de um ano, com cláusula de extensão por mais um.

Em outubro, em entrevista ao jornal Sport, o lateral medalha de ouro na Olimpíada de Tóquio, havia se colocado à disposição do Barça, mas o então técnico Ronald Koeman foi contrário à contratação. “Saí dizendo que quando o clube precisasse de mim e me quisesse, eu estaria à sua disposição independentemente de onde estivesse. O carinho, amor e respeito que tenho por esta casa é enorme. Acho que posso contribuir em qualquer lugar, mas mais no Barça pelo número de jovens que tem agora. Em todos os lugares que estive, sempre achei que a combinação perfeita é a experiência com a juventude".

Em crise financeira, o Barcelona viu o craque Lionel Messi sair para o PSG e vendeu Griezmann ao Atlético de Madrid no início da temporada. A equipe conta com jovens de destaque como Ansu Fati, Pedri e Gavi, mas está apenas na nona posição no Campeonato Espanhol, onze pontos atrás da líder Real Sociedad.

A chegada de Daniel Alves pode reforçar a lateral direita do Barça, que vive de atuações inconstantes de nomes da posição como Sergiño Dest e Sergi Roberto.

O lateral vive um ano de 2021 de altos e baixos: ajudou o São Paulo a ser campeão estadual, foi titular na campanha do Brasil medalhista de ouro na Olimpíada de Tóquio, mas deixou o Tricolor pela porta dos fundos ao reclamar que o clube devia um montante de R$ 11 milhões, referente a salários referentes ao ano de 2020.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.