Alberto Estévez/EFE
Alberto Estévez/EFE

Daniel Alves exalta atuação do Barcelona na decisão diante do Manchester

'É um prêmio ao grande trabalho que fizemos durante todo ano', disse o lateral-direito

AE, Agência Estado

28 de maio de 2011 | 19h43

LONDRES - O brasileiro Daniel Alves não escondeu o orgulho de fazer parte do elogiado elenco do Barcelona, neste sábado, após ajudar o seu time a conquistar a Liga dos Campeões da Europa. Os espanhóis venceram o Manchester United por 3 a 1, em Wembley, e faturaram seu segundo título europeu em três anos.

Titular absoluto, o lateral comemorou a chance de ter disputado a final deste sábado, após cumprir suspensão na decisão de 2009, diante do mesmo Manchester. "Não tem o mesmo sabor quando você não joga. Vivi os dois momentos. E esse é muito mais gostoso que o outro. É um prêmio ao grande trabalho que fizemos durante todo ano. A final de hoje foi espetacular. E prevaleceu o jogo do Barcelona", disse o brasileiro, em entrevista à ESPN.

Daniel Alves, contudo, admitiu que o Barcelona teve dificuldade no início do jogo, diante da pressão dos ingleses. "Acho que, em um jogo como esse, sempre tem aquela ansiedade. Todos querem ser perfeitos. Passou uns 10 minutos até a gente pegar o ritmo do jogo. E, depois que isso aconteceu, controlamos o jogo", comentou o lateral, que não temeu pela virada, quando o Manchester buscou o empate, ainda no primeiro tempo.

"Não abalou porque a gente tinha o jogo bastante controlado. Tínhamos criado muitas chances de gol. Eles acharam esse gol, porque quase não tinham finalizado no nosso gol. E, na primeira oportunidade, fizeram o gol. Sabíamos que é um adversário que não precisa criar muitas oportunidades pra te fazer um gol", afirmou Daniel, satisfeito com o domínio do Barcelona na partida. "Nossa posse de bola é a nossa fortaleza. Acho que o Barcelona conquistou o título merecidamente".

Questionado sobre a importância histórico do atual time do Barcelona, o brasileiro evitou corroborar a opinião de que o time espanhol é um dos melhores de todos os tempos. "Não dá para ter essa noção porque as coisas estão muito recentes. Nós seguimos competindo, seguimos disputando competições importantes. Não dá para perceber essa importância, a grandeza desse time. Só depois que esse time for desmanchado nós saberemos o seu valor. Só tenho que sentir muito orgulho por fazer parte desse grupo fantástico", avaliou o bicampeão europeu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.