Leo Correa|AP
Leo Correa|AP

Daniel Alves: 'Não esperem o Neymar do Barcelona na seleção'

Lateral cobra maior consistência do Brasil nas partidas

Daniel Batista, O Estado de S. Paulo

27 de março de 2016 | 07h05

Neymar deu assistência para um gol, mas não conseguiu fazer uma grande atuação no empate em 2 a 2 da seleção brasileira com o Uruguai, na noite de sexta-feira, em Recife. Para piorar, o jogador do Barcelona recebeu o segundo cartão amarelo e não enfrentará o Paraguai, na terça, em Assunção. O lateral-direito Daniel Alves saiu em defesa do companheiro e pediu para evitar comparações entre o futebol apresentado pelo atacante na seleção e no Barça.

"Não podemos esperar o mesmo rendimento do Neymar do Barcelona na seleção, pois nossa filosofia aqui não é a mesma. Já temos uma filosofia de anos no Barcelona e aqui ainda temos que nos adaptar. Mas o Neymar tem que ser o diferencial sempre e nossa função é ajudar que isso aconteça. Se não conseguirmos ajudar, fica mais difícil, porque futebol é coletivo", disse o lateral.

Daniel, como um dos líderes do grupo, ainda cobrou maior equilíbrio da seleção para conseguir manter a regularidade durante os 90 minutos. No jogo com o Uruguai, o time fez um primeiro tempo muito bom e caiu demais de rendimento na etapa final, quase sofrendo uma virada histórica na Arena Pernambuco.

"Fazer dois tempos tão diferentes não é para uma seleção do nível dos nossos jogadores. Temos que buscar equilíbrio, não oscilar tanto no jogo e na competição, pois a dificuldade será ainda maior. Tem que rever conceitos, repensar e buscar equilíbrio nos jogos e na competição", analisou.

No outro lado do campo, Filipe Luís sentiu que a seleção se abateu após o gol de empate dos uruguaios e por isso teve ainda mais dificuldades para conseguir tentar marcar o terceiro gol. "Acho que o empate deles fez o nosso time sentir bastante. Nosso resultado positivo ficou ameaçado e não tivemos tanta calma para acelerar a bola. Precisamos conversar e melhorar para encarar o Paraguai", disse o lateral-esquerdo.

Apesar da cobrança, Filipe acredita que a situação ainda pode ser facilmente revertida. "A gente não pode se desesperar. Tem que ter paciência. Demos muito contra-ataque para eles e o primeiro passo é ser mais sólido", pediu.

A seleção brasileira está no Rio Grande do Sul, onde treina visando o jogo com o Paraguai. No sábado, o técnico Dunga cancelou o treino que estava marcado para ocorrer em Viamão, cidade próxima de Porto Alegre. A definição da equipe ocorre na atividade marcada para este domingo, às 16 horas, no mesmo local. A tendência é que, para os lugares de Neymar e David Luiz, suspensos, o treinador coloque Ricardo Oliveira na frente e Marquinhos na defesa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.