Daniel sem medo da crise no Palmeiras

Daniel chegou praticamente sem ser notado ao Palmeiras. Ex-entregador de jornal em Ribeirão Preto, o zagueiro de 29 anos assinou contrato até o final do ano, mas não quis assumir muita responsabilidade na luta para levar a equipe de volta à primeira divisão do Campeonato Brasileiro. ?Um jogador apenas não vai resolver nada. O conjunto é muito mais importante do que a individualidade. Venho para ajudar quem já está aqui. Mas o fato de conhecer alguns profissionais com quem trabalhei no São Caetano e que estão aqui, como Magrão e Adãozinho e o técnico Picerni, pode facilitar meu trabalho. Só não quero falar sobre a situação do clube porque estava acompanhando de fora. Muitas coisas que acontecem dentro do grupo não passam para fora?, afirmou Daniel. Segunda opção do treinador do Palmeiras para a defesa ? a primeira era Dininho, também do São Caetano ?, Daniel acredita que está diante do maior desafio da sua carreira. ?Agradeço a confiança das pessoas que me trouxeram. Estava no São Caetano há cinco anos, mas optei por mudar de ares. Não me amedrontei com a fase de turbulência. O Palmeiras é um time grande e tem condições de se recuperar?.Picerni mostrou-se aliviado com o reforço: ?É um grande jogador, certamente vai nos ajudar.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.