Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

Danilinho acusa o técnico Cuca de cobrar para escalar Guilherme e Berola em 2012

Treinador nega e afirma que vai procurar a Justiça: 'ele vai responder judicialmente isso aí'

Redação, O Estado de S.Paulo

12 de junho de 2020 | 22h13

Durante uma live no Instagram nesta sexta-feira, o atacante Danilinho, ex-Atlético-MG, acusou o técnico Cuca de cobrar dinheiro para escalar o meia Guilherme e o atacante Neto Berola em 2012, quando o treinador comandava a equipe mineira.

"Não fomos campeões no Atlético Mineiro em 2012 porque o Cuca cobrava dinheiro do Berola e do Guilherme. Quer que eu prove? Que provem eles. Aqui digo o que tenho que dizer a vocês", afirmou Danilinho durante a transmissão ao vivo. Em sua defesa, Cuca disse em entrevista ao globoesporte.com que o jogador mentiu e vai procurar a Justiça.

"Da minha parte, acho que ele foi muito mal e já deve estar arrependido. Só que ele vai responder judicialmente isso aí, não tenha dúvida. A situação já está com meu jurídico para executar isso aí. Não é brincadeira, não", afirmou Cuca.

"Isso me causa muita estranheza e envolve o nome de dois jogadores que foram grandes profissionais, corretíssimos. Não é justo dividir a imagem deles em uma coisa tão baixa como foi essa que foi dita. Segundo: isso mostra o que é o Danilinho. Por isso ele foi afastado, por não ser um cara de grupo. A gente vê que é um momento que ele está em embriaguez, mas isso não tira a responsabilidade dele. Ele tem que ser responsável pelos atos dele. O que ele fez foi uma acusação muito grave", complementou o treinador, que atualmente está sem clube.

Cuca ainda disse que "fica muito sentido" com a acusação de Danilinho, que atualmente defende a equipe do Central, de Pernambuco. "Ele não é uma má pessoa. Só acho que ele é mal instruído. Se fosse mais profissional e tivesse tido menos problemas fora do campo poderia ter sido campeão junto com a gente. Tentamos levar ele para o melhor caminho, acabou que não conseguimos, ele saiu. Não pode alguém desse tamanho fazer uma barbaridade dessa. A palavra é lamentável. Ele foi de uma infelicidade muito grande."

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.