Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Aguilar passa bem após choque de cabeça; Avelar diz que não lembra do lance

Zagueiro do Santos deixou o gramado de ambulância e foi encaminhado para o Hospital Sírio Libanês

João Prata, O Estado de S.Paulo

31 de março de 2019 | 19h20

Além dos gols no clássico entre Corinthians e Santos, um lance na partida deixou todos apreensivos. Danilo Avelar se chocou de cabeça com Felipe Aguilar no final do primeiro tempo e os dois caíram no gramado. 

O lateral-esquerdo do Corinthians seguiu na partida, enquanto que o zagueiro do Santos desmaiou e deixou o campo de ambulância. "Eu não lembro muito o que aconteceu. Fiquei meio tonto. Pelo que soube acho que ele bateu na minha nuca. Mas o importante é todo mundo estar bem", disse Avelar. 

A assessoria de imprensa do Corinthians informou que Aguilar recebeu atendimento inicial no posto médico da arena e depois foi encaminhado consciente para o Hospital Sírio Libanês. O Santos informou que o zagueiro está bem e deve receber alta nesta segunda-feira. 

"Felipe Aguilar realizou na noite deste domingo uma tomografia, sendo avaliado por um neurologista. Os exames não apresentaram qualquer alteração clínica. O zagueiro passará a noite no Hospital Sírio Libanês e será reavaliado na manhã desta segunda para possível alta após realização de nova tomografia", informou a nota.

O lance aconteceu aos 44 minutos da etapa inicial. Após cruzamento da esquerda, os dois subiram para a disputa da bola e se chocaram. O lateral-direito Fagner aproveitou a sobra e mandou para as redes. O gol foi invalidado porque o árbitro já havia parado o lance.

Os jogadores do Corinthians ameaçaram uma reclamação, mas depois desistiram. O clima no gramado e no estádio ficou de apreensão. Alguns jogadores tiraram a camisa para tentar abanar Aguilar. Enquanto isso, Avelar recuperava os sentidos e recebia atendimento médico.

Aguilar seguia deitado. Vagner Love tentou virá-lo de lado e foi reprimido pelos jogadores do Santos. Alison e Cueva pediam a substituição. Outros gritavam pela ambulância. Os médicos correram para o gramado. Depois veio a ambulância.

Quando o jogador foi imobilizado já conversava com os médicos, que colocaram o protetor cervical e depois o levaram para avaliação. O técnico do Santos Jorge Sampaoli, na entrevista coletiva, ainda não sabia sobre o estado de saúde de seu jogador. "Vamos esperar para saber se estará disponível."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.