Danilo, com tendinite, é a arma de Leão

Leão não se cansa de pedir reforços. Atualmente admite aceitar reservas de outros clubes, desconhecidos ou promessas. Quer fazer sombra a seus titulares. Mas o elenco do São Paulo está tão carente? Ao que parece, sim. Tanto que a aposta do treinador para o duelo desta quarta à noite, é o meia Danilo, aquele que o diretor Juvenal Juvêncio declarou não ter espírito de Libertadores após o 2 a 2 com o mesmo Quilmes, na Argentina. "O Danilo é fundamental e está escalado", declara. Não se contesta a capacidade do meia, até porque, após ser criticado pelo dirigente, respondeu, em campo, com dois gols na goleada por 6 a 1 diante do Marília. O problema está nas condições do atleta. Danilo não treinou durante a semana. Já havia sido poupado contra a Ponte Preta por causa de contusão no nariz. Sofreu cotovelada de Zé Elias no clássico contra o Santos. E faz tratamento intensivo contra tendinite no joelho esquerdo. "O Danilo vai bem ao ataque é ajuda na marcação." Na verdade, Leão não confia mais em Souza e Vélber e ainda espera progresso de Marco Antônio. Hoje, o treinador fez desabafo e colocou muitos jogadores no paredão. "Jean, Souza, Vélber estão há um ano e meio no clube, caindo de maduro. Precisam mostrar por que estão aqui, que são atletas de elite e funcionam na pressão." Luizão ainda é considerado contratação de risco. E até Tardelli entrou na dança. "Ele acha que de chapa fará gol de longe. E precisa de velocidade para cabecear, olhando a bola. Senão ficará fazendo gols de ombro." Para o incomodado Leão, jogador para chegar ao apogeu necessita atuar bem por 3 anos. "No sobe e desce, não se definirá." No meio de tanto desabafo, voltou a elogiar o meia Diego Souza, do Palmeiras. "Precisamos de alguém que carregue a bola de trás e chegue na frente, chutando. Ele lembra o Kaká e sua característica me agrada." Pediu, também, a chegada de uma estrela. "Quero alguém que consiga carregar o time, como o Robinho." Por falta de acerto financeiro, o clube deixou escapar a contratação de Anderson Lima, Magrão, Roger, Ramon, Felipe, Fabrício Carvalho e Claúdio Pitbull no início do ano.

Agencia Estado,

12 de abril de 2005 | 19h36

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.