Danilo será o segundo atacante

Danilo não será um simples meia no clássico desta quinta-feira contra o Palmeiras. Ele foi o escolhido pelo técnico Paulo Autuori para funcionar como um segundo atacante para dar o apoio necessário a Amoroso. Não terá de se preocupar muito com a armação, já que Richarlyson deverá fazer a função.Autuori e Danilo não falam abertamente sobre isso para tentar confundir a cabeça de Emerson Leão, que conhece muito bem as peças que o São Paulo tem. Mas o camisa 10 não quer ser visto como a solução encontrada para acabar com o jejum de gols dos atacantes."Não há uma fórmula mágica para a gente voltar a fazer os gols. Isso faz parte do futebol; tem jogos em que a gente atua bem, mas a bola não entra", afirma. "Precisamos ter mais concentração e atenção. Atenção para não sofrer os gols, concentração na hora de concluir."Enquanto Souza e Júnior mostraram guardar mágoas da passagem de Leão pelo São Paulo, Danilo evitou comparar o estilo do ex-treinador ao de Autuori. Fez elogios aos dois. "Eu sei que um ou outro jogador não gosta dele, mas não tenho nada a reclamar. O Paulo Autuori é um cara que passa mais tranqüilidade independentemente do momento pelo qual o time está passando", diz.Para o meio-campista, o São Paulo só não pode entrar desesperado porque pode acabar surpreendido. "Precisamos da vitória a qualquer custo, mas temos de jogar com tranqüilidade. O meio-de-campo do Palmeiras é bom, e em um clássico, a marcação tem que ser redobrada", avisa.A diretoria do São Paulo renovou o contrato com o lateral Júnior até agosto de 2007. "Essa atitude mostra aos que pensam em sair que a diretoria está disposta a manter a mesma estrutura. Sempre valorizando o elenco", elogiou Autuori.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.