Dário comemora; Abel parabeniza rival

O técnico do Volta Redonda, Dário Lourenço, foi irônico na entrevista coletiva após a vitória de seu time sobre o Fluminense por 4 a 3. Ele repetiu pelo menos quatro vezes que sempre sentiu orgulho de ter jogado no Bonsucesso, nos anos 70. Era uma resposta a declarações de seu colega do Fluminense, Abel Braga, que durante a semana fez questão de ressaltar suas passagens, como atleta, pelo próprio Fluminense, Vasco, Paris Saint-Germain e pelo futebol de Portugal. "Me fiz homem e formei meu caráter sim no Bonsucesso, um clube de tradição do subúrbio do Rio, hoje passando por uma momento ruim." Na semana que antecedeu ao primeiro jogo da decisão, Abel e Lourenço travaram uma disputa paralela, com recados de um para o outro, por meio da imprensa, em tom nada amistoso. Neste domingo, Abel preferiu recuar e reconheceu a superioridade do Volta Redonda. "Os adversários merecem os parabéns. Eles viraram o jogo com justiça. Ocorreu desleixo do nosso time depois dos 2 a 0. O Volta Redonda nos deu uma grande lição." Volta Redonda - Para Lourenço, o gol de Léo Guerra, aos 45 minutos do primeiro tempo, serviu como alento à equipe, no intervalo. "Aquele gol nos deu a certeza de que poderíamos conseguir o resultado", disse. O técnico do Volta Redonda comparou o desempenho de seu time ao de um carro de corrida que teve uma pane na largada, só conseguiu religar o motor depois de ser empurrado e então mostrou todo seu potencial. "Pegamos no tranco." Ele destacou ainda o equilíbrio da equipe e disse que o Volta Redonda vai manter a concentração para o jogo final. "Não ganhamos nada ainda. Somente fizemos o que foi uma constante em todo o campeonato." Fluminense - Abel Braga pode ter a volta de três jogadores na decisão de domingo: o lateral Juan e os meias Juninho e Diego. Ele só vai se pronunciar sobre eventuais mudanças na reapresentação da equipe, na terça-feira. O treinador disse que mencionou os erros do time no vestiário, após a derrota. Estava muito contrariado com o resultado - pela primeira vez na temporada, o Fluminense levou quatro gols numa partida.Ele ressaltou que terá uma semana inteira para trabalhar com o grupo e que a desvantagem do Fluminense pode ser "perfeitamente contornada". "Está em aberto, um gol de diferença não representa algo tão expressivo."

Agencia Estado,

10 de abril de 2005 | 19h43

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.