Dario Pereyra quer Lusa equilibrada

Enquanto o elenco treinava fisicamente, terça-feira à tarde, no Canindé, em um canto do gramado o técnico Dario Pereyra conversava reservadamente com Dênis. Um autêntico papo de um ex-defensor para o zagueiro titular da equipe. "Procuramos conversar muito, com todos, sobre os erros que temos cometido durante os jogos", explicou Dario. "Ainda temos vários detalhes para corrigir." O treinador está preocupado principalmente com os gols que o time vem sofrendo.Em dois jogos no Campeonato Paulista, o goleiro Gléguer teve de buscar a bola no fundo das redes cinco vezes: duas no empate diante da Portuguesa Santista, na estréia, e três contra o São Paulo, no domingo. "Os erros estão ocorrendo porque os jogadores ainda não se conhecem direito", disse Dario. "Estamos cometendo falhas na marcação, que os adversários estão aproveitando."No entanto, a produção do ataque está surpreendendo o treinador, pois foram quatro gols marcados em duas partidas. "Nesse ponto, estamos rendendo além do que eu esperava, pois alguns jogadores ainda estão atuando fora de sua posição original, como o Danilo", afirmou. "Mas se quisermos vencer os jogos, precisamos melhorar."Diante do Atlético Sorocaba, domingo, no Canindé, Dario Pereyra deve manter a formação que iniciou o jogo contra o São Paulo. "Não pretendo mexer na escalação, pois o time está adquirindo entrosamento agora", disse o treinador, que deve definir o time para o próximo compromisso no treino coletivo marcado para esta quinta-feira à tarde, no Canindé.Assim, mesmo com a documentação em dia, o meia Melinho e o centroavante Agnaldo ficarão, no máximo, como opções para o banco de reservas. Nesta quarta-feira pela manhã, o elenco fez o primeiro treino de conjunto da semana, no CT do Parque Ecológico. À tarde, os jogadores fizeram um treinamento físico, no Canindé.

Agencia Estado,

28 de janeiro de 2004 | 18h50

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.