Datas e horários das quartas do Paulistão têm aval da PM e Globo

Para evitar interior, Palmeiras aceita jogo no domingo, às 11h

ALMIR LEITE, O Estado de S. Paulo

09 de abril de 2015 | 13h13

A reunião do conselho técnico que definiu dias e horários dos jogos de quartas de final do Campeonato Paulista, no final da manhã desta quinta-feira, na sede da FPF, foi rápida. Durou cerca de meia hora e só começou depois do horário previsto porque o presidente do Santos, Modesto Roma Júnior, se atrasou. Mas, quando representantes clubes, da federação e dos responsáveis pela segurança pública sentaram-se à mesa, estava tudo praticamente resolvido.

A marcação do jogo do Corinthians contra a Ponte Preta para as 16h20 do sábado no Itaquerão, de São Paulo x Red Bull Brasil para as 18h30 no Morumbi e das partidas de Palmeiras contra Botafogo para o Allianz Parque no domingo às 11h e de Santos x XV de Piracicaba para as 16h na Vila Belmiro foi fruto de um acordo costurado desde as primeiras horas da manhã.

"Já estava tudo previamente acertado com a segurança pública. A reunião com os dirigentes foi tranquila", disse o promotor Paulo Castilho, do Juizado do Torcedor. "Vai ser uma rodada tranquila."

Prevaleceu, portanto, a última sugestão apresentada pela Polícia Militar com apoio da secretária de Segurança Pública do Estado de São Paulo - a primeira proposta, apresentada na terça-feira e que previa que o Palmeiras jogaria na segunda-feira, foi rejeitada pela diretoria do clube alviverde. Mas que também passou pelo crivo da TV Globo e, principalmente, atendeu aos interesses de Corinthians e São Paulo, que têm jogos na próxima semana pela Libertadores.

Para o São Paulo, atuar no sábado foi a melhor alternativa. Isso porque o time tem compromisso na quarta-feira seguinte contra o Danubio, pela Libertadores, no Uruguai, é assim terá um dia a mais tanto para descansar os jogadores como para se preparar para a partida, praticamente decisiva para o clube na competição.

O Palmeiras preferia jogar no domingo à tarde. Mas, como ficou em quarto lugar na classificação geral da primeira fase e por isso teria de jogar no interior se o que está escrito no regulamento da competição fosse mantido, aceitou entrar em campo às 11 horas sem chiar muito. Mesmo porque, para definição do horário do jogo com o Botafogo, contou a influência da PM e até da secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo.

Como no domingo à tarde haverá na capital paulista nova manifestação contra o governo de Dilma Rousseff e contra a corrupção, os responsáveis pela segurança já haviam pedido na terça-feira que um jogo na cidade fosse realizado às 11 horas. Inicialmente, a PM propôs que fosse a partida entre Corinthians e Ponte Preta, no Itaquerão.

O Corinthians, porém, não concordou - e após o jogo com o XV de Piracicaba, na noite de quarta-feira, Tite disse que seria "impossível" preparar sua equipe. Mesmo porque o time joga na próxima quinta contra o San Lorenzo, também no Itaquerão, pela Libertadores. "Ficamos felizes, pois jogar no sábado é muito melhor para a nossa preparação do que no domingo às 11 horas", disse Edu Gaspar, representante do Corinthians no conselho técnico.

Além disso, a TV Globo inicialmente não abria mão de transmitir o jogo do Corinthians no domingo. Mas acabou concordando com a mudança para o sábado à tarde - quando clubes, dirigentes e responsáveis pela segurança sentaram-se à mesa para o conselho técnico nesta quinta-feira esse detalhe já estava definido. Não ficou claro, porém, se a emissora vai transmitir o jogo do Santos no domingo, por causa do risco da baixa audiência.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCampeonato Paulista

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.