Matt Dunham/AP
Matt Dunham/AP

David Beckham é mal visto pelas seguradoras de carros

Com veículos caros e luxuosos, meia inglês já se envolveu em diversos acidentes nos últimos anos

EFE,

26 de março de 2009 | 18h51

O meia inglês David Beckham, do Milan, está entre os jogadores considerados "menos lucrativos" para as seguradoras de veículos. A informação foi revelada após um estudo feito por um site da Espanha.

Veja também:

linkBeckham sonha em bater recorde de Shilton na Inglaterra

especialDê seu palpite no Bolão Vip do Limão 

O ex-jogador do Real Madrid passou por acidentes automobilísticos mais de uma vez. Em meados do ano passado, ele bateu seu BMW na parede de um túnel em Nice, na França, e também tinha se envolvido em outra colisão, com um carro de Polícia que estava fora de serviço. Em 2002, o acidente foi com uma Mercedes.

De acordo com o AsesorSeguros.com, portal que compara preços de seguros, outro nome mal visto pelas empresas é o do meia-atacante português Cristiano Ronaldo, do Manchester United.

Há alguns meses, o vencedor do prêmio de melhor do mundo pela Fifa em 2008 deu perda total em sua Ferrari. E esta não foi a primeira vez que o craque se envolveu em um acidente de trânsito. O site informa que o seguro de um carro como este é de aproximadamente 20 mil euros antes de um acidente, e o número pode dobrar depois.

Na lista também aparece o atacante camaronês Samuel Eto'o, do Barcelona. O atual artilheiro do Campeonato Espanhol passou por três acidentes, um deles ao bater em uma ambulância.

O estudo afirmou ainda que jogadores de alto nível cumprem "todas as características" do perfil de alto risco - jovens, gostam de festas e compram carros caros e potentes.

Segundo Mario Brüggemann, diretor-geral do site, os jogadores têm mais vantagens que um motorista normal para conseguir a proteção. "Se não fossem estrelas do esporte, seria verdadeiramente difícil segurar seu veículo", assinalou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.