David Braz exalta dia de 'artilheiro' no Santos e explica desabafo

Zagueiro revela que seus companheiros tiravam sarro dele nos treinos e que os gols foram feitos contra um ex-clube

SANCHES FILHO, O Estado de S. Paulo

08 Setembro 2014 | 19h00

Contestado por parte da torcida do Santos, o zagueiro David Braz viveu um dia de sonho no último sábado. Ele marcou duas vezes na vitória por 3 a 1 sobre o Vitória, pelo Campeonato Brasileiro, e pôde "se vingar" de seus companheiros, principalmente Gabriel, que durante os treinamentos não perdoavam a falta de traquejo do defensor nas jogadas de ataque.

"Ele (Gabriel) que está acostumado com isso. É uma sensação gostosa, nunca tinha vivido. Futebol tem disso, agora vou ser marcado. No rachão falavam que a natureza me marcava, mas eu fico muito feliz porque isso aconteceu. Espero que o Santos consiga vencer com isso", comentou nesta segunda. "Fiquei muito feliz, muita gente deve ter visto e agora vão me marcar, antes eu ouvia ''a natureza marca'', mas agora vão me marcar."

Os dois gols de David Braz saíram em jogadas de bola parada, após desvios de Edu Dracena na primeira trave. E o zagueiro espera que este tipo de lance ganhe cada vez mais espaço no Santos. "Nossa bola parada tem sido boa, muitos times tem sido bons na bola parada e vamos aproveitas essa fase."

Após a partida, David Braz chegou a desabafar nas redes sociais e celebrou que os gols e o triunfo tivessem acontecido contra "esse time que subestimou o meu trabalho e pisou no meu sonho no ano passado". O zagueiro teve passagem apagada pelo Vitória e chegou a ser afastado no clube em 2013.

"Eles (Vitória) me colocaram para treinar separado. Para eu retornar ao Santos, o Vitória tinha que pagar multa. Não chegaram a acordo, fiquei lá e sem receber. A gente entrou contra o Vitória na Justiça, estamos aguardando, e agora as coisas estão acontecendo. Por isso desabafei nas redes sociais. Logo contra eles, que pisaram no meu sonho", explicou.

Mais conteúdo sobre:
futebolSantos FCDavid Braz

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.