Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

David Luiz dribla nariz quebrado, olho roxo e dores para brilhar pelo Brasil

Zagueiro praticamente se escala para enfrentar o Uruguai, quarta-feira

ROBSON MORELLI - Enviado Especial, O Estado de S.Paulo

24 de junho de 2013 | 07h14

SALVADOR - O zagueiro David Luiz está com o olho esquerdo roxo, o nariz quebrado e com a coxa direita protegida por causa de uma pancada sofrida na partida contra a Itália, que o tirou de campo ainda no primeiro tempo na Fonte Nova. Sua mãe, dona Regina, quando o viu no sábado nessas condições perguntou se ele estava nas manifestações de rua que estouram pelas capitais pedindo um Brasil melhor. O zagueiro está estropiado, mas já se escalou para o jogo de quarta-feira contra o Uruguai, no Mineirão.

“Vai ser um confronto interessante”, disse o beque da seleção, já de bolsa nas costas para se reapresentar ao técnico Felipão como os demais jogadores que ganharam folga após a vitória diante dos italianos.

David Luiz tirou a manhã para ficar com os pais, a irmã, alguns outros familiares e amigos. No café da manhã, ele engoliu muito rapidamente alguns pães de queijo, posou para fotos com todos que pediam e entregou para seu pai, Ladislau Luiz Marinho, uma sacola com as camisas dos adversários que o Brasil enfrentou neste último mês.

Sua mãe olhou os uniformes, do Japão, da França, com orgulho de quem acompanha o filho desde seus primeiros passos no futebol no Clube dos Engenheiros de Pirituba, em São Paulo. Ele mesmo conta que saía de Diadema, no ABC, para jogar em outra cidade, na zona oeste de São Paulo. Dona Regina é a fã número 1 do filho. Em sua casa, ela montou um quarto só para guardar e expor o que o menino ganha no futebol. Há camisas, medalhas, troféus e recortes de jornal. “Guardamos tudo”, diz o pai. David Luiz atuou pela primeira vez como profissional no Vitória, da Bahia, para em seguida ser negociado com o Benfica, de Portugal, e depois para o Chelsea, da Inglaterra, onde Felipão foi buscá-lo para a Copa das Confederações.

No Barcelona? Existe a possibilidade de David Luiz jogar no Barcelona. O técnico José Mourinho, que assumiu o time londrino, o teria liberado em caso de alguma oferta do clube espanhol. Ele prefere não comentar essa possibilidade agora. Felipão quer que ele mantenha o foco na competição.

A família segue seus passos desde o Rio de Janeiro, quando o Brasil fez amistoso com a Inglaterra. Ao lado de Thiago Silva, David Luiz é titular absoluto de Felipão. E não há contestação do torcedor. Seu carisma entre os brasileiros cresce a cada partida da seleção, mas isso também tem muito a ver com seu jeito simples e humilde, como o de sua família.

O pai é homem de poucas palavras e sorrisos. Dona Regina demonstra mais sua alegria pelas conquistas do menino. Ela disse que ele chegou a entrar na cozinha de um restaurante somente para cumprimentar os cozinheiros que não podiam sair dali. Ganhou o carinho de todos em Salvador.

Terceira fratura no nariz. Ao se despedir de David Luiz, dona Regina também pediu mais cuidado ao filho em campo, para que ele não se arrebente ainda mais nos jogos finais.

O olho roxo, segundo o médico da seleção disse a ele, ocorre porque o hematoma geralmente desce para a região facial, e pende para o lado mais próximo da pancada. David Luiz quebrou o nariz acidentalmente na partida contra o México. Subiu para afastar o perigo e se chocou com Thiago Silva, seu parceiro de área, que estava na sua frente.

O sangue jorrou. “Fiquei muito assustada porque não parava de sair sangue. Ele ficou um tempão fora do campo”, disse a mãe, para depois contar ao Estado que era a terceira vez que David quebra o nariz jogando bola. “Quando tinha 13 anos, até passou por uma cirurgia. O David sempre se arrebentou no futebol.”

De qualquer forma, David Luiz não se imagina fora da partida da semifinal contra o Uruguai. Ele não manca mais, mas continua com uma proteção na coxa direita. “Foi só a pancada mesmo. Saí mais por precaução e porque tinha um amarelo. Vou com certeza para o jogo em Belo Horizonte.”

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.