Antonio Callani/AP
Antonio Callani/AP

David Luiz e Balotelli se enfrentam em partida que vale a liderança

Desafio do zagueiro da seleção brasileira é parar o forte e polêmico craque italiano

ROBSON MORELLI - Enviado Especial, O Estado de S. Paulo

22 de junho de 2013 | 08h05

SALVADOR - A fratura no nariz sofrida contra o México não vai tirar David Luiz do jogo com os italianos. É possível que o zagueiro atue com uma proteção, embora não tenha treinado assim nesta sexta-feira. David Luiz foi um dos melhores do Brasil na vitória sobre os mexicanos, e agora terá de mostrar que tem fôlego para marcar o parrudo Balotelli.

Acostumado a defender o Chelsea em torneios europeus, o beque não se intimida com o rival, mesmo com todos no Brasil sabendo o perigo que ele representa para a defesa. Foi de Balotelli um dos gols naquele empate de 2 a 2 em amistoso disputado em Genebra, dia 21 de março.

Após a partida diante do México, Felipão mencionou a necessidade de ajudar seus laterais. O treinador viu um buraco pelas beiradas, principalmente nas costas de Marcelo. O auxílio, no entanto, virá do meio, provavelmente com Luiz Gustavo, que já vinha fazendo essa cobertura, mas que agora terá de ajudar ainda mais no setor. Isso quer dizer que os zagueiros terão outras preocupações.

David Luiz, por exemplo, vai colar em Balotelli quando ele se aproximar do gol de Julio Cesar. O atacante italiano tem dois gols na Copa das Confederações, um contra o Japão, na vitória por 4 a 3, e outro na estreia diante do México no 2 a 1.

MALANDRAGEM

A seu favor, o beque brasileiro tem a rapidez e o bote quase sempre perfeito nas antecipações. Contra os mexicanos, fez sete desarmes, e outros três na estreia, diante dos japoneses. Mais do que a condição técnica que o levou para o grupo de Felipão, o zagueiro do Chelsea joga com disposição. Ele tem demonstrado isso tanto nos treinos quanto nas partidas.

Sexta-feira, David Luiz postou no seu twitter que “não há cansaço quando se joga com amor”. Essa disposição contagia o grupo.

David Luiz também vai precisar usar a malandragem do futebol para tentar parar Balotelli. O atacante tem facilidade para jogar de costas para os marcadores e, bem ao estilo Serginho Chulapa, consegue se livrar do beque e virar para o gol, só usando o corpo. Foi assim que ele fez o gol contra o México.

Ocorre que Balotelli, como quase todo o time italiano, está arrebentado fisicamente, com dores musculares e cansado depois do duelo com o Japão, e, pior, pendurado com amarelo. Como Balotelli é uma “bomba relógio” dentro e fora de campo, há a preocupação do técnico Cesare Prandelli de que seu jogador não receba um novo cartão e fique fora da semifinal, talvez contra a Espanha. David poderá tirar proveito disso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.