De ânimo novo, Vasco pega Chapecoense para manter recuperação no Brasileirão

Os seis jogos de invencibilidade fizeram o Vasco sonhar em fugir do rebaixamento e reanimaram a torcida para o jogo contra a Chapecoense, nesta quinta-feira, às 19h30, no estádio do Maracanã, no Rio, em jogo válido pela 30.ª rodada do Campeonato Brasileiro. A diretoria aguarda público superior a 30 mil pessoas para que a permanência no torneio comece a se tornar uma realidade.

THIAGO RABELO, ESPECIAL PARA A AE, Estadão Conteúdo

15 de outubro de 2015 | 06h05

Com 27 pontos e na 19.ª posição, sete a menos que o adversário, o Vasco não tem condições de deixar o grupo dos quatro piores nesta rodada. Restam nove jogos para o término do campeonato e o time precisa conquistar, no mínimo, mais 18 pontos para disputar a elite do futebol nacional em 2015.

Além dos problemas na tabela de classificação, o técnico Jorginho terá quatro desfalques para o confronto. O principal é o goleiro Martin Silva. O uruguaio foi convocado para as Eliminatórias e também está suspenso, mesma situação do lateral Madson e dos atacantes Jorge Henrique e Rafael Silva. Sem Martin Silva, o jovem Jordi retorna ao gol.

Ciente de que o jogo é um confronto direto, o técnico Jorginho optou por treinamentos fechados durante a semana e não divulgou a equipe. Na lateral, a expectativa é que Bruno Henrique seja titular. Já no ataque, o argentino Herrera é o favorito, mas tem a concorrência de Romarinho. Os dois foram testados nas atividades ao lado de Leandrão. Neste Brasileirão, Romarinho disputou apenas uma partida.

Após o jogo contra a Chapecoense, o Vasco terá uma sequência complicada contra São Paulo, Grêmio, Fluminense, Palmeiras e Corinthians, o que reforça a necessidade de vencer nesta quinta-feira. "Não podemos pensar no depois, mas sabemos que virá uma sequência muito difícil. É jogo a jogo. É muita briga lá embaixo, então eu não fico vendo muito a tabela", disse o zagueiro Luan.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolBrasileirãoVasco

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.