Rafael Ribeiro/Vasco
Rafael Ribeiro/Vasco

De ânimo renovado, Vasco inicia dura sequência diante do Grêmio em Porto Alegre

Jogadores afirmam que período de intertemporada em Foz do Iguaçu os ajudou a entender o que Vanderlei Luxemburgo espera do time

Redação, Estadao Conteudo

13 de julho de 2019 | 14h44

Duas vitórias seguidas antes da parada para a Copa América e quase um mês para "respirar". O ambiente, portanto, não poderia ser melhor para a retomada do Vasco no Campeonato Brasileiro após a pausa. O problema, entretanto, pode ser a sequência que terá início neste sábado, contra o Grêmio, às 17 horas, em Porto Alegre, pela décima rodada da competição.

Depois de encarar o difícil compromisso contra os gaúchos, o time carioca terá pela frente ainda o clássico contra o Fluminense, em São Januário, e o Palmeiras em São Paulo, no desafio de tentar se desgarrar das últimas posições do campeonato, ou a "turma da confusão", como costuma dizer seu técnico, Vanderlei Luxemburgo.

Quem chegou ao clube cruzmaltino no período da intertemporada, quase todo realizado em Foz do Iguaçu (PR), foi o meia Marquinho. E, pelo que indicam as escalações dos dois últimos amistosos realizados neste período, contra Atlético-GO e Foz do Iguaçu, o recém-chegado deve assumir a condição de titular, no lugar de Marrony. E ele já se diz adaptado.

"Aos poucos, com o tempo, estamos entendendo o que o professor Vanderlei quer que a gente faça. O trabalho que vem sendo desenvolvido por ele e a comissão técnica tem tudo para dar certo. Acredito num futuro feliz para o Vasco", afirma o jogador de 33 anos, que estava no time B do Athletico-PR e já passou pela Roma, além de Palmeiras e Fluminense.

Apesar da participação ainda irregular das duas equipes no Brasileirão - O Vasco é apenas o 15º, com nove pontos, enquanto o Grêmio ocupa a 11ª colocação, com 11 - , Marquinho aposta em um confronto franco neste sábado. "A expectativa é muito alta. Acreditamos que vamos fazer um grande jogo, na verdade. Independente da posição em que Vasco e Grêmio se encontram, são duas equipes muito grandes, de tradição. Tem tudo para ser um grande jogo, um duelo bastante interessante", disse.

A opinião do meia vascaíno apóia-se não apenas nas tradições das camisas, mas também no viés de recuperação que os dois times apresentam no momento. O Vasco, que não havia vencido até a oitava rodada, aproveitou-se bem do fator casa nos dois últimos jogos para enfim ganhar - Internacional (2 a 1) e Ceará (1 a 0). Os gaúchos, por sua vez, bateram o Fortaleza, em casa, e Botafogo, fora - ambos por 1 a 0.

Para o duelo deste sábado, Luxemburgo deve repetir a equipe que tem atuado nos últimos amistosos, promovendo, além da estreia em jogos oficiais de Marquinho no setor ofensivo, tomando a posição de Marrony ao lado de Rossi e Valdívia (que jogará como "falso 9"), a entrada de Richard, ex-Corinthians, na posição de volante no esquema 4-3-3.

Na defesa, a dupla formada pelo colombiano Oswaldo Henríquez e Ricardo Graça, que já vinha atuando no miolo de zaga antes da intertemporada, está mantida na ausência de Leandro Castán, suspenso por dois jogos devido a expulsão pela Copa do Brasil.

Tudo o que sabemos sobre:
Campeonato Brasileiro de FutebolVasco

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.