Reuters
Reuters

De Bruyne admite que deve sair do Manchester City se punição da Uefa for confirmada

Clube pode ficar dois anos sem disputar competições continentais por violar regras do fair play financeiro

Redação, Estadão Conteúdo

02 de maio de 2020 | 20h07

O meia belga Kevin de Bruyne admitiu que provavelmente tentará sair do Manchester City caso o clube fique mesmo fora das competições europeias por dois anos, conforme punição aplicada pela Uefa, que está sob análise da Corte Arbitral do Esporte (CAS). O City foi punido por maquiar dados financeiros, colocando investimentos diretos do grupo que é dono do clube como dinheiro advindo de patrocínios.

O belga pensa em continuar no clube se for apenas um ano de punição. "Dois anos (fora da Liga dos Campeões) seria bastante tempo, mas, caso seja um ano, posso ver (a possibilidade de continuar em Manchester)", afirmou, em entrevista ao jornal Het Laatste Nieuws, também da Bélgica. De Bruyne tem contrato com o City até 2023.

No entanto, De Bruyne manteve a confiança de que o time conseguirá reverter a punição. “O clube nos disse que iria apelar da decisão e que tem quase 100% de certeza de que está certo. É por isso que estou esperando para ver o que irá acontecer. Confio no meu time. Uma vez que a decisão estiver tomada, irei rever tudo”, projetou o meiocampista.

Para De Bruyne, a punição é a única coisa que poderia tirá-lo do City, já que afirma estar feliz no time de Manchester no momento. “Jogo em um dos melhores times do mundo, jogo na Inglaterra, onde está a melhor competição do mundo no meu ponto de vista competitivo, e eu gosto disso. Ser o melhor segue sendo um desafio, e preciso disso também”, comentou.

A Uefa anunciou a punição ao Manchester City em fevereiro, ao concluir que o clube maquiou dados e violou as regras do fair play financeiro no período entre 2012 e 2016 - além da suspensão das competições continentais, também deveria pagar uma multa de 30 milhões de euros (R$ 182,7 milhões, na cotação atual). O clube recorreu à CAS e o caso segue em análise - caso a decisão definitiva não saia antes do início da próxima temporada, o clube deve disputar a Liga dos Campeões normalmente na temporada 2020-21 e a eventual punição ser aplicada no(s) ano(s) seguinte(s).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.