Bruno Fahy/AFP
Bruno Fahy/AFP

De Bruyne diz que Bélgica está mais experiente e mostra confiança

"Sabemos como é viver um com o outro por cinco ou seis semanas", afirma o meia do Manchester City

Estadão Conteúdo

08 Junho 2018 | 19h30

Repleta de jogadores de destaque no futebol europeu, a Bélgica chega para a Copa do Mundo da Rússia tentando surpreender e ir mais longe do que há quatro anos, no Brasil. Se em 2014 a seleção parou nas quartas de final, o sonho desta vez é ir além e, quem sabe, conquistar o primeiro título do torneio para o país.

+ Alemanha encerra jejum e bate a Arábia em último amistoso pré-Copa

+ Croácia vira sobre Senegal e vence último amistoso antes da Copa

Um dos principais nomes da equipe, o meia Kevin De Bruyne se mostrou confiante para o torneio e apostou que a maior experiência dos jogadores, em relação àquele time de 2014, pode fazer a diferença. "O Brasil, em 2014, foi muito especial. Foi nosso primeiro grande torneio longe de casa. Agora, estamos mais experientes. Nós sabemos como é viver um com o outro por cinco ou seis semanas", declarou nesta sexta-feira.

Para o jogador do Manchester City, um dos reflexos desta experiência é a forma como os atletas da seleção belga têm se portado em campo. "Eu estou aqui para fazer o time melhor. No campo e perto dele, nós temos que falar para o outro como melhorar. Não é uma crítica, é uma função do time."

 

O meia Carrasco, ex-Atlético de Madrid e atualmente no Dalian Yifang, da China, também falou da importância desta maturidade da Bélgica. Ele se usou como exemplo e garantiu não se importar de ficar "à sombra" de nomes como os do próprio De Bruyne, de Hazard e Lukaku.

"Eu estou orgulhoso de fazer parte do elenco para a Copa do Mundo. Eu não me importo de ficar à sombra do Lukaku ou do Hazard, por exemplo. Eu apenas vou dar tudo de mim. O time precisa vencer, não a pessoa", considerou. "Todos precisam apoiar a Bélgica. Nós podemos alcançar algo lindo."

A seleção belga entra em campo para o último amistoso preparatório para a Copa na segunda-feira, quando encara a Costa Rica, em Bruxelas. A equipe está no Grupo G do Mundial, ao lado de Inglaterra, Tunísia e Panamá, adversário da estreia no próximo dia 18, em Sochi.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.