De malas prontas, Cannavaro se despede da torcida do Real

O zagueiro italiano Fabio Cannavaro deu nesta quinta-feira sua última entrevista coletiva como jogador do Real Madrid, já que acertou contrato para voltar à Juventus de Turim na próxima temporada.

EFE

21 de maio de 2009 | 12h38

"Adeus e obrigado. Volto à Itália e à Juve, mas deixo aqui muitos amigos. Deixo um clube muito importante e retorno para casa, após três temporadas, com muita energia", disse.

O jogador lamentou a atuação da equipe nas últimas partidas, incluindo a derrota para o Villarreal que confirmou o título espanhol ao rival Barcelona.

"Não gostei das três últimas partidas, principalmente depois do grande trabalho e esforço da equipe. Muitas coisas ocorreram, inclusive uma troca de treinador, e mesmo assim fizemos um segundo turno excepcional, em que enfrentamos um grande Barça", comentou.

No próximo domingo, contra o Mallorca, Cannavaro se despedirá da torcida e do estádio Santiago Bernabéu.

"Não quero nenhuma despedida especial, apenas vencer o jogo, porque a torcida e as pessoas do clube merecem. Como sempre será fundamental o coletivo, e não o individual", ressaltou.

O jogador disse ter esperado até o fim para assinar com os italianos, e só o fez depois da derrota para o Barcelona.

Na hora do adeus, Cannavaro fez uma rápida avaliação dos bons e maus e momentos vividos nestas três últimas temporadas.

"O melhor foram os dois títulos espanhóis e a Supercopa da Espanha. Sentirei saudades de todos. Eu e minha família fomos bem recebidos, e isso é algo que nunca esquecerei", comentou.

O único ponto negativo foi a derrota de 6 a 2 para o Barça, que praticamente eliminou o time do Espanhol nesta temporada.

O zagueiro também falou sobre as necessidades do Real Madrid para o futuro. "O clube precisa de tranquilidade. Muito aconteceu e é preciso deixar as coisas claras. Não podemos ter dúvidas a cada derrota. Também precisamos de um presidente que dure mais de quatro anos", ressaltou.

O italiano respondeu com um sorriso quando perguntado se gostaria de marcar seu primeiro gol pelo Real Madrid na última partida como jogador do clube no Santiago Bernabéu.

Cannavaro também falou sobre o técnico português José Mourinho, mas tratou de defender Juande Ramos, que o comanda no Real Madrid.

"Mourinho é um grande treinador, foi campeão em Portugal, Itália e Inglaterra. É um vencedor, mas as pessoas se esquecem de Juande Ramos e do grande trabalho que ele está realizando", disse.

Em sua última mensagem à torcida, Fabio Cannavaro ficou sem palavras e preferiu ser direto, falando com o coração: "Muito obrigado a todos", disse, em italiano e espanhol.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.