Marcos de Paula/AE - 11/04/2010
Marcos de Paula/AE - 11/04/2010

De novo sem concentrar, Vasco estreia na Libertadores

Embalada no Campeonato Carioca, equipe 'rebelada' por falta de pagamentos, encara o Nacional-URU

LEONARDO MAIA, Agência Estado

08 de fevereiro de 2012 | 08h33

RIO - Por enquanto, o atraso de salários no Vasco e a decisão dos jogadores de não se concentrar na véspera das partidas ainda não explodiram em uma crise. Claro, as quatro vitórias pelo Campeonato Carioca minimizaram a repercussão. Mesmo com uma partida de importância muito maior pela frente, o grupo decidiu manter o regime de dormir em casa para o jogo contra o Nacional, do Uruguai, nesta quarta-feira, às 22 horas, no estádio de São Januário, na estreia do time na fase de grupos da Copa Libertadores.

Se os atletas mostrarem empenho e conquistarem uma vitória no retorno do clube à competição sul-americana depois de 11 anos, tudo continuará bem. Do contrário, a atitude e os atrasos certamente serão apontados como responsáveis por um eventual tropeço. Nesta terça, a diretoria encontrou recursos para quitar o 13.º salário de 2011, mas ainda ficam pendentes os pagamentos de dezembro e de três meses de direitos de imagem. Com isso, os jogadores vão manter a "greve" das concentrações.

Apesar do impasse, o técnico Cristóvão Borges está mais preocupado com os problema de campo. Ele tem alguns desfalques para lidar e precisa encontrar boas soluções. Além de Rômulo e Eder Luís, afastados por lesões desde o ano passado, o treinador não vai ter à disposição o volante Allan, machucado, e o lateral-direito Fagner, suspenso.

A boa notícia fica por conta da confirmação de Fernando Prass no gol, recuperado de um corte no joelho esquerdo. Juninho Pernambucano e Felipe vão atuar juntos no meio de campo e Eduardo Costa deve suplantar Fellipe Bastos, a julgar pelo treinamento desta terça.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolLibertadoresVasco

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.