Werther Santana/Estadão
Werther Santana/Estadão

De olho em Barrios, Marcelo Oliveira manda o Palmeiras ao ataque

Técnico já definiu a equipe que enfrentará o Grêmio no sábado

DANIEL BATISTA, O Estado de S. Paulo

19 de junho de 2015 | 12h17

O técnico Marcelo Oliveira definiu a equipe do Palmeiras para a partida contra o Grêmio, sábado, em Porto Alegre. A formação será a mesma treinada na quarta e quinta-feira, em treino coletivo realizado na Academia de Futebol. Enquanto isso, o treinador espera por Lucas Barrios, que chegará após o fim da participação do Paraguai na Copa América.

"Já conheço o Barrios. Ele vai somar muito pela experiência e capacidade. Vou prestar mais atenção ao Paraguai, na Copa América. Temos de acompanhar de tudo, para observar atletas e tipos de jogo. E agora, muito mais, porque este jogador vem para somar bastante ao elenco, que já admito ter boa qualidade", disse o comandante palmeirense. O Paraguai também joga neste sábado, contra o Uruguai.

Marcelo ainda confirmou que, após a chegada de Barrios e Leandro Almeida, que pode ser anunciado até o começo da semana, não deve ser contratado mais nenhum jogador. "Neste momento, pelo que analisei, não tenho necessidade de nada. Pelo contrário. Temos bons jogadores para cada posição, vamos analisar melhor, mas acho que temos um grupo bom, forte, de qualidade semelhante e de características diferentes. É um grupo equilibrado, não vejo necessidade de trazer mais ninguém."

O treinador comandou três treinamentos desde que chegou ao clube, na terça-feira, e mesmo com pouco tempo de trabalho, já sentiu algumas diferenças importantes. "Fiquei impressionado com a estrutura e ferramentas do clube. Gostei do ânimo e do comprometimento de todos, inclusive, com alguns jogadores querendo completar o trabalho. Temos um processo de formação de time. Temos um elenco de qualidade, mas precisamos formar um time", explicou Marcelo.

Nesta sexta-feira, o Palmeiras realizou o primeiro rachão na temporada. O treino é comum na maioria dos clubes brasileiros, mas Oswaldo de Oliveira não tinha o hábito de dar a atividade, que consiste em uma espécie de coletivo em campo reduzido em que os atletas se divertem, com brincadeiras e jogadas de efeito.

"Rachão é uma cultura brasileiro, não farei sempre, mas quando achar necessário dar uma descontraída, faremos. A primeira parte foi um rachão e depois fizemos um trabalho tático e bola parada", explicou Marcelo.

A grande mudança tática prometida pelo treinador já na partida deste sábado é uma maior velocidade para chegar ao ataque e mais chutes a gol. Além disso, ele quer que o time avance a marcação para forçar o erro do adversário no campo de defesa. Assim, Cleiton Xavier e Zé Roberto deixaram o time e entraram, respectivamente, Robinho e Alecsandro.

Assim, o Palmeiras vai a campo diante do Grêmio com Fernando Prass; Lucas, Victor Ramos, Vitor Hugo e Egídio; Gabriel, Arouca, Robinho, Dudu e Rafael Marques; Alecsandro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.