Lucas Figueiredo/ CBF
Lucas Figueiredo/ CBF

De olho em Paris-2024, técnicos da base acompanham Copas São Paulo e Votorantim

Profissionais observam jogos dos principais torneios de juniores do País buscando talentos para a seleção brasileira

Redação, Estadão Conteúdo

18 de janeiro de 2022 | 15h13

O calendário de 2022 começou com tudo para as categorias de base do futebol brasileiro. Após cancelamentos em 2021 por conta da pandemia do novo coronavírus, o retorno da tradicional Copa São Paulo de Futebol Junior e da Copa Votorantim Sub-15, ambos no Estado de São Paulo, movimentam os departamentos de formação dos clubes e apresentam aos torcedores talentos que poderão figurar nos times profissionais na sequência da temporada.

Para as seleções brasileiras de base, oportunidade de observar o desempenho dos atletas, aqueles já no radar dos treinadores e os destaques que surgem nestas competições. O ano é de preparação para a disputa dos torneios oficiais Fifa e Conmebol em 2023, como o Pré-Olímpico para os Jogos de Paris-2024, na França, onde o Brasil poderá conquistar a terceira medalha de ouro consecutiva no futebol masculino.

Os técnicos Dudu Patetuci, das categorias sub-16 e sub-18, e André Jardine, da sub-20 e seleção olímpica, acompanham presencialmente a reta final das duas competições. Eles se dividem com os observadores Ricardo Perlingeiro, Djair Brito, Edgar Pereira e Eduardo Melgarejo. O técnico campeão olímpico em Tóquio-2020, no ano passado, esteve nesta segunda-feira no estádio Anacleto Campanella, em São Caetano do Sul (SP), acompanhando a vitória do São Paulo sobre o Vasco, pela Copa São Paulo.

Esta competição está na fase de quartas de final. Os confrontos acontecem nesta terça e quarta-feira. São eles: Mirassol-SP x Santos, América-MG x Botafogo, Cruzeiro x São Paulo e Palmeiras x Oeste-SP.

A Copa Votorantim também já está na fase de quartas de final. Nesta terça-feira se enfrentam Santos x Palmeiras e seleção de Votorantim-SP x Avaí. Nesta quarta jogam Corinthians x América-MG e Red Bull Bragantino x Cruzeiro.

"São duas competições importantes, consolidadas, e que contribuem muito no processo de formação dos atletas. Nesta reta final, os confrontos são ainda mais desafiadores para os atletas. Estaremos in loco em todos esses jogos e intensificando a observação e elaboração dos relatórios sobre aqueles com potencial para a seleção brasileira. O ano de 2022 é muito importante para nossos treinadores por conta da proximidade dos Sul-Americanos e Mundiais de 2023. Temos que ser muito assertivos e detalhistas", explicou Ricardo Perlingeiro, coordenador do departamento de observação das seleções brasileiras de base.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.