Rubens Chiri/São Paulo FC
Rubens Chiri/São Paulo FC

De olho na liderança, Sidão celebra 'tranquilidade para ajustes' no São Paulo

Ao 'Estado', goleiro se mostra otimista de que equipe do Morumbi está no rumo para brigar pelo título do Brasileirão

Entrevista com

Sidão, goleiro do São Paulo

Matheus Lara, O Estado de S.Paulo

30 de maio de 2018 | 07h00

O São Paulo quer aproveitar o embalo dos dez jogos de invencibilidade para corrigir problemas que persistem e se firmar como candidato ao título brasileiro. Nesta quarta, se derrotar o Botafogo, no Morumbi, a equipe pode chegar ao topo da tabela, desde que Atlético-MG e Fluminense não vençam Sport e Grêmio, respectivamente, fora de casa.

Torcida e clube se mobilizam para lotar Morumbi em jogos da semana

Para o goleiro Sidão, a boa fase da equipe do Morumbi é ideal para ajustes. “Sempre há o que melhorar”, diz em entrevista ao Estado. “As vitórias dão tranquilidade. É um bom momento para corrigir erros, como de posicionamento, por exemplo, para evitarmos abrir espaços, o que dá posse de bola ao adversário.”

O goleiro se mostra otimista quanto a possibilidade de chegar ao topo da tabela. “Queremos nos manter na parte de cima da tabela e vamos buscar pontos para isso. A liderança é o alvo maior de todos os times. Ela viria em boa hora e, se vier, espero que possamos mantê-la até o fim.”

Experiente, Sidão revelou uma das formas que encontrou para ajudar a grupo a ficar mais confiante. "O momento é importante. Sempre falei que não podemos ficar pensando no que passou (temporadas lutando contra o rebaixamento). Muitos que estão aqui hoje não estavam naqueles momentos. Hoje, estamos plantando o que vamos colher lá na frente. E isso precisa nos dar tranquilidade."

Para o arqueiro, o "rodízio" promovido por Diego Aguirre no time do São Paulo foi positivo. Agora, ele pede o grupo unido. "Não vejo como testes, e sim opções. Pois todos têm condição de jogar. É opção tática. Ele gosta de analisar os adversário e lançar mão de um jogador com certa característica para ser usada a nosso favor. Grande parte do time já tem jogado junto e isso facilita. O momento é de unir cada vez mais."

Atuando em casa nesta quarta, onde só perdeu uma vez no ano até agora (para o Santos por 1 a 0 pela fase de grupos do Paulistão), o São Paulo conta com o apoio de seu torcedor, de acordo com Sidão. "O torcedor no ano passado viu e entendeu a força que ele tem. Agora que passou aquele momento difícil, também é hora de eles se mobilizarem para nos apoiar e nos levar para frente. Uma vitória em casa nos dará boas oportunidades no campeonato."

Dúvidas. São Paulo e Botafogo se enfrentam às 21h desta quarta no estádio do Morumbi. Quarto colocado com 13 pontos, os tricolores têm apenas um a menos que o Flamengo, líder, e a mesma pontuação de Fluminense e Atlético-MG, vice e 3º colocado, respectivamente. O técnico Diego Aguirre tem dois desfalques garantidos para o duelo: Militão e Hudson, suspensos.

Régis é o favorito para a lateral-direita e Petros disputa com Liziero o espaço no meio-campo. O zagueiro Anderson Martins, que cumpriu suspensão no último compromisso do time, deve voltar para o time titular. De olho no clássico com o Palmeiras no próximo sábado, Aguirre pode poupar atletas - não só pelo desgaste, mas também para evitar perder atletas pendurados, como Arboleda, Bruno Alves, Sidão e Régis.

SÃO PAULO x BOTAFOGO

São Paulo: Sidão; Régis, Arboleda, Anderson Martins e Reinaldo; Jucilei, Petros e Araruna (Valdívia); Nenê, Everton e Diego Souza (Tréllez). Téc.: Diego Aguirre.

Botafogo: Jefferson; Marcinho, Joel Carli, Igor Rabello e Moisés; Lindoso, Bochecha e Matheus Fernandes; J. Pedro, Luiz Fernando e Kieza. Téc.: Alberto Valentim.

Juiz: Wilton Sampaio (GO).

Local: Morumbi.

Horário: 21h.

Tudo o que sabemos sobre:
São Paulo Futebol Clubefutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.