De olho na vaga, Santos treina pênaltis

Os jogadores do Santos utilizaram parte do treinamento desta sexta-feira para aperfeiçoar cobranças de faltas, e principalmente, pênaltis, de olho numa provável disputa contra o São Caetano, sábado, às 16 horas, no jogo de volta das semifinais do Campeonato Paulista.Segundo o técnico Leão, era só a lição de casa, um procedimento normal do dia a dia do clube e nada tinha a ver com um possível empate no tempo do jogo. "Vamos tentar liquidar a partida nos 90 minutos e não podemos pensar num empate que pode nos levar à decisão por pênaltis", disse o volante Renato, que chegou nesta quinta-feira a Santos, depois de ter jogado pela Seleção Brasileira contra o Paraguai na última quarta-feira, e já participou das atividades. O goleiro Doni, um dos que mais defendem pênaltis, também espera a decisão durante o jogo.Leão evitou realizar um coletivo, uma vez que Alex volta de contusão e Elano se recupera de uma forte gripe. Além disso, Renato voltou de Assunção e não foi submetido a grandes esforços. Por conta disso, o treinador ainda não divulgou a equipe para o jogo de sábado, embora tenha já a escalação na cabeça. E brincou com os jornalistas: "está difícil de vocês saberem a escalação, pois não estou dando coletivo. Sei que tinha 40 de vocês para olhar o coletivo e não teve, né?"Se disse que não definiu o time, comentou também que os batedores não estão definidos para uma eventual decisão por pênaltis. "Não treinamos especificamente para o jogo, mas para que eles aprendam a bater pênalti e tenham confiança. Faz parte do dever de casa e não definimos ainda".Convocação - Confiante ano apoio da torcida, Leão mais uma vez espera presença maciça dos santistas. "Isso deu uma confiança tão grande aos atletas que eles passaram a ter um rendimento fora de casa muito bom, ao ponto de conseguir mais de 50% de vitórias fora de casa nos campeonatos regional e nacional, enquanto conseguimos este ano 100% na Libertadores".O treinador santista lamentou novamente os critérios do Paulista, principalmente a decisão por pênaltis em caso de empate. "O bom é aquele que vence pela regularidade, campeonato bom é aquele que você exercita ao longo do campeonato e acho que mais uma vez provou que uma grande equipe saiu apesar de ser a primeira, que foi o São Paulo". Ele defendeu a disputa em turno e returno, por pontos corridos.O zagueiro Alex demonstrou confiança em seu retorno ao time na partida de sábado. "Fiz o tratamento durante a semana e estou recuperado", disse ele, garantindo que joga. Ele não disputou a primeira partida e acha que cada um dos jogadores vai ter que colar no adversário que tiver de marcar, pois não se pode abrir espaço.Tanto faz - O lateral-esquerdo Léo bem que preferia disputar na Vila Belmiro essa partida que decidirá a vaga para a final do Paulista, mas jogar fora de casa não o preocupa mais. "O esquema tático que o técnico Leão adotou no Santos já está formado e sua principal característica é atacar muito o jogo todo e está mantendo esse padrão dentro e fora de casa".Por conta dessa maneira de jogar, que está se mostrando vitoriosa no campo dos adversários, Léo entende que seu time tem condições de superar sábado o São Caetano no Anacleto Campanella. "O fator campo não pode pesar, pois temos conseguido bons resultados fora de casa, a torcida do Santos já mostrou que é muito grande no ABC e, além de tudo, um time que luta para ser campeão não pode escolher estádio".Mesmo confiante, acha que será mais um jogo difícil. "Vai ser outra guerra, outra partida complicada, mas vamos lá, respeitando o São Caetano, em busca do único resultado que nos interessa, a vitória". Ele destacou a capacidade de recuperação do time, demonstrada domingo na primeira partida contra esse mesmo adversário. "Quem joga no Santos nunca pode deixar de acreditar e foi com a confiança que Leão nos deu no intervalo que fizemos um segundo tempo excelente".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.