De Rossi deve ficar fora da decisão entre Itália e Uruguai em Natal

Médico italiano Enrico Castelacci não cravou, mas deixou claro que não acredita que ele possa se recuperar a tempo de disputar o jogo

Luís Augusto Monaco - Enviado especial a Mangaratiba, O Estado de S. Paulo

21 de junho de 2014 | 17h03

O médico italiano Enrico Castelacci não cravou que De Rossi está fora do jogo de terça-feira contra o Uruguai, mas deixou claro que não acredita que ele possa se recuperar a tempo de participar do jogo que decidirá o destino da Azzurra no Mundial (um empate a coloca nas oitavas de final, a derrota a manda para casa).

Em entrevista coletiva na tarde deste sábado no Frasqueirão, o estádio do ABC, Castelacci disse ser "altamente improvável" a presença do volante da Roma em campo, "A ressonância magnética a que ele foi submetido nesta manhã mostrou um edema no músculo da panturrilha esquerda e uma contratura de grau 1. Não é grave, mas como vocês sabem não faço previsão sobre o tempo de recuperação de problemas musculares. O que posso dizer é que como temos pouco tempo até a partida é muito difícil que De Rossi jogue." Em off, pessoas de dentro da delegação italiana dão como certo que o volante desfalcará a equipe.

Segundo o médico, De Rossi sentiu o problema no segundo tempo da partida contra a Costa Rica. "Ele achou que dava para continuar, e ficou até o fim. Isso talvez tenha agravado um pouco o problema, mas não há lesão de fibras musculares."

Se o volante está fora (Verratti deve entrar em seu lugar), o lateral De Sciglio tem grandes chances de começar jogando. Nas palavras de Castelacci, ele está à disposição do técnico Cesare Prandelli, totalmente recuperado da contratura muscular na coxa esquerda que sofreu em um treino dois dias antes da partida contra a Inglaterra em Manaus pela primeira rodada. E como Abate foi muito mal diante da Costa Rica, é mais do que provável que De Sciglio entrará no time jogando na lateral-esquerda, com Darmian voltando para a direita.

Castelacci também falou sobre a dificuldade que os jogadores sentem em jogar às 13h, horário da partida contra os uruguaios. E disse que torce por chuva na terça-feira. "Sem dúvida seria melhor para nós." Mas para isso acontecer o tempo precisará mudar muito, porque neste sábado o sol brilha num céu sem nuvens e a temperatura às 16h era de 30 graus.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.