Divulgação
Divulgação

De saída do Chile, Sampaoli gostaria de dirigir time europeu

Técnico revela que gostaria de trabalhar no Velho Continente

Estadão Conteúdo

28 de dezembro de 2015 | 17h33

Jorge Sampaoli levou o Chile ao título inédito da Copa América, mas tem grandes chances de não ficar para a Copa do Mundo de 2018. O treinador tem seu futuro indefinido em meio à crise que vive a federação chilena de futebol, cujo agora ex-presidente acertou acordo de delação premiada nos EUA.

"A minha decisão (se fica ou se sai da seleção) depende basicamente da mudança do presidente e da direção que me contratou e da chegada de uma nova. Temos que conversar. Vou me sentar com eles em 4 de janeiro e ver quais são os projetos esportivos para o ano, se estão mesmo vinculados aos meus, e aí sim tomar uma decisão", contou Sampaoli, em entrevista ao DeporTV, canal esportivo da TV argentina.

O treinador, que está na Argentina para as festas de fim de ano, contou que deseja trabalhar num clube europeu. Ele chegou a ser especulado pelo São Paulo e pela chapa de oposição do Flamengo, que perdeu as eleições internas do clube.

"Claro que (ir à Europa) seria algo que me motivaria muito. Seguramente irei analisar isso no momento certo, porque também é preciso analisar bem, já que dependendo do clube é preciso ganhar tudo a toda hora, estar bem preparado, conhecer o meio em que vai estar", explicou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.