De saída, Thiago Neves movimenta o treino do Fluminense

Jogador treinou normalmente e recebeu orientações do técnico Cuca; em princípio, ele pega o Flamengo

Hilton Mattos, especial para O Estado de S. Paulo

27 de agosto de 2008 | 21h10

A indefinição sobre a transferência de Thiago Neves para o futebol espanhol tem mexido com os ânimos tricolores às vésperas do Fla-Flu do próximo domingo. Nesta quarta-feira à tarde, nas Laranjeiras, o apoiador treinou normalmente, recebeu orientações do técnico Cuca e, a princípio, está escalado para o clássico.   Veja também: Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão    Acontece que nem o jogador acredita na sua permanência. O grupo de investimento que detém 66% dos direitos econômicos do apoiador está na Espanha negociando os últimos detalhes com o Atlético de Madri. A janela de transferência se encerra nesta sexta-feira. E, nos bastidores, todos dão como certa a negociação.   Thiago deve ser negociado por 12 milhões de euros. O acerto ainda não foi fechado porque os percentuais estão sendo discutidos. Os direitos econômicos do camisa 10 pertencem ao Grupo Sonda, a Léo Rabello, empresário do jogador, e ao Fluminense.   Além do clube madrileno, Hamburgo (Alemanha), Manchester City (Inglaterra) e Lokomotiv (Rússia) entraram no circuito. Financeiramente, a proposta do clube russo é mais vantajosa. Mas, na Espanha, Thiago teria mais visibilidade.   Para o atacante Washington, treinar com uma formação e mudá-la na véspera do jogo prejudica o entrosamento. "Isso é ruim. Mas o que posso dizer é que torço para ele ser feliz ficando ou não".   DODÔPara Washington, a saída do atacante, que teve o contrato rescindido após se indispor com o técnico Cuca, vai melhorar o ambiente entre os jogadores. Dodô vinha se desgastando internamente por não aceitar a reserva. Na partida do último sábado, contra o Sport Recife, chegou a deixar o Maracanã no intervalo.   "A atitude dele [Dodô] não era boa. Ele tinha a sua posição, queria jogar, mas o treinador tinha a dele. Acabava não sendo benéfico para o grupo vê-lo se indispondo toda hora".  

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.