Kimimasa Mayama / EFE
Kimimasa Mayama / EFE

De técnico novo, Japão fará convocação em 31 de maio e não revelará 'suplentes'

Lista será anunciada um dia antes de amistoso preparatório contra a seleção de Gana

Estadão Conteúdo

15 Maio 2018 | 12h50

A seleção japonesa vai apresentar a sua lista final de convocados para a Copa do Mundo em 31 de maio, apenas alguns dias antes de 4 de junho, a data-limite imposta pela Fifa para entrega da relação de jogadores chamados para a disputa do torneio na Rússia.

+ Com Cuéllar e Borja, Colômbia divulga 35 pré-convocados para a Copa

+ Löw divulga lista preliminar da Alemanha para Copa com Neuer e sem Götze

O porta-voz da Associação Japonesa de Futebol, Hiroshi Tada, explicou nesta terça-feira que as lista preliminar de 35 nomes foi entregue para a Fifa na última segunda, como determinado. Mas essa relação, que conta com 12 "suplentes" não será tornada pública.

Tada afirmou que o Japão vai realizar na sexta-feira a convocação para o amistoso contra Gana, em Yokohama, em 30 de maio. No dia seguinte ao jogo preparatório, então, a lista de 23 nomes para a Copa do Mundo será anunciada.

Já com o grupo fechado para o torneio na Rússia, a seleção do Japão fará amistosos contra a Suíça em 8 de junho, em Lugano, e o Paraguai, no dia 12, em Innsbruck, na Áustria.

A seleção japonesa enfrenta um duro desafio. Em abril, quando faltavam apenas dois meses para a Copa do Mundo, a federação nacional demitiu o técnico bósnio Vahid Halilhodzic, o substituindo por Akira Hishino.

O Japão vai disputar a sexta Copa do Mundo consecutiva, mas apenas duas vezes avançou de fase, logo parando nas oitavas de final. A equipe foi além da primeira fase em 2002, quando era dirigida pelo francês Philippe Troussier, e em 2010, sob o comando de Takeshi Okada.

Hoje apenas a 60ª colocada no ranking da Fifa, a seleção japonesa está no Grupo H da Copa do Mundo e vai estrear contra a Colômbia, em 19 de junho. A equipe asiática ainda enfrentará Senegal, no dia 24, e a Polônia, no dia 28.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.