De virada, Goiás acaba com série invicta do Palmeiras

No primeiro jogo após a contratação do técnico Muricy Ramalho, o Palmeiras, ainda comandado por Jorginho, foi derrotado pelo Goiás por 2 a 1, no Serra Dourada, pela 13ª rodada do Campeonato Brasileiro. O resultado deixou o clube com 25 pontos, em segundo lugar.

ANDRÉ RIGUE, Agencia Estado

23 de julho de 2009 | 00h21

O Palmeiras, que teve encerrada uma série de 12 jogos sem derrota, ainda pode ver o Atlético Mineiro disparar na liderança. O time do técnico Celso Roth tem 25 pontos e enfrenta nesta quinta-feira, às 21 horas, o Fluminense, no Mineirão.

Nesta quarta, Jorginho manteve o Palmeiras no 4-4-2, apesar de não contar com Pierre, Maurício Ramos e Ortigoza, suspensos. Souza, machucado, também ficou de fora. Marcão entrou para formar dupla de zaga com Danilo. Sandro Silva foi para o meio e Willians no ataque. O Goiás, por sua vez, não teve o artilheiro Felipe, lesionado - Léo Lima ocupou a vaga.

O Palmeiras até teve maior domínio de bola na etapa inicial (cerca de 55%), mas sofreu com a falta de criatividade. Na única boa oportunidade, aos 25 minutos, Obina, livre, não conseguiu aproveitar o cruzamento rasteiro do lateral Armero.

O Goiás também não apresentou um bom futebol no primeiro tempo. A equipe visitante criou sua melhor chance aos 44 minutos, quando Ramalho foi lançado dentro da área e Marcos fez bela defesa - se não fosse pelo goleiro, o Palmeiras poderia ir para o intervalo em desvantagem.

A bola só balançou as redes no segundo tempo. Diego Souza marcou o gol do Palmeiras aos 7 minutos depois de dominar na intermediária, driblar Ramalho e soltar uma bomba no ângulo direito de Harley - o goleiro do Goiás completou o seu jogo de número 600 com a camisa do time.

Apesar do sofrer o gol, o Goiás manteve o padrão e quase empatou aos 12 minutos: Léo Lima recebeu dentro da área e finalizou. A bola passou por Marcos e Danilo salvou em cima da linha. Apesar do esforço do zagueiro, o empate goiano chegou através de um erro do árbitro Evandro Rogério Roman.

Aos 30 minutos, Wendel disputou bola com Júlio César e o jogador goiano caiu ao ser desarmado. Roman assinalou pênalti e provocou a revolta dos palmeirenses. Léo Lima foi para a cobrança e bateu no canto direito de Marcos - o goleiro até pulou na bola, mas não conseguiu alcançar.

Jorginho colocou o Palmeiras no ataque ao tirar Willians e colocar Daniel. O time pressionou. Aos 39 minutos, Obina recebeu passe açucarado e saiu na cara do gol. Na finalização, ele chutou fraco, nas mãos de Harlei.

E de tanto perder gol, o Palmeiras acabou castigado no finalzinho. Aos 43 minutos, Bruno Meneghel passou por Danilo e chutou. A bola desviou em Marcão, tirou Marcos da jogada e foi para fundo das redes. Jorginho, que será auxiliar de Muricy, sentiu pela primeira vez o gosto amargo da derrota.

Para o clássico do próximo domingo contra o Corinthians, o Palmeiras ainda será comandado por Jorginho - Muricy só começa os trabalhos na segunda-feira. E o interino poderá contar com as voltas de Pierre, Maurício Ramos e Ortigoza. Souza segue em recuperação e é a única dúvida. Já o Goiás vai visitar o Atlético-MG em Belo Horizonte, no mesmo dia.

Ficha Técnica:

Goiás 2 x 1 Palmeiras

Goiás - Harlei; Vitor (Gomes), Leandro Eusébio, Ernando e Júlio César; Valmir Lucas, Amaral, Ramalho (Bruno Meneghel) e Felipe Menezes; Iarley e Léo Lima. Técnico: Hélio dos Anjos.

Palmeiras - Marcos; Wendel, Danilo, Marcão e Armero; Sandro Silva (Jumar), Edmílson, Cleiton Xavier e Diego Souza; Willians (Daniel) e Obina. Técnico: Jorginho (interino).

Gols - Diego Souza, aos 7, Léo Lima, aos 30, e Bruno Meneghel, aos 43 minutos do segundo tempo.

Cartões amarelos - Léo Lima (Goiás); Wendel, Sandro Silva, Jumar e Edmílson (Palmeiras).

Árbitro - Evandro Rogério Roman (Fifa/PR).

Renda e público - Não disponíveis.

Local - Estádio Serra Dourada, em Goiânia (GO).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.