Divulgação/ Twitter do Tottenham
Divulgação/ Twitter do Tottenham

José Mourinho diz assumir Tottenham 'emocionalmente mais forte'

Treinador português estava sem clube desde dezembro do ano passado

Redação, O Estado de S.Paulo

21 de novembro de 2019 | 14h45

Após duas passagens pelo comando do Chelsea e uma última à frente do Manchester United, encerrada em dezembro do ano passado, José Mourinho está de volta ao futebol inglês para dirigir o Tottenham. Oficializado na última quarta-feira como substituto do demitido Mauricio Pochettino, o treinador português foi apresentado nesta quinta-feira pelo clube de Londres e disse assumir a equipe em um momento em que ele acredita estar "emocionalmente mais forte" para este novo desafio de sua carreira.

Após ser demitido pelo United apenas uma semana antes do Natal do ano passado, Mourinho não assumiu a direção de nenhum outro time durante 11 meses. Com isso, teve um longo tempo para refletir sobre a sua trajetória e para escolher os próximos passos de sua vida antes de voltar a exercer a função de treinador.

Quando chegou ao Chelsea pela primeira vez, já com o status de quem havia conduzido o Porto e a Inter de Milão aos títulos da Liga dos Campeões da Europa, o treinador se autointitulou de "The Special One" (O Especial), deixando qualquer modéstia de lado. Agora, porém, ele chegou ao Tottenham exibindo um discurso mais comedido.

"Sou humilde o suficiente para tentar analisar o que fiz na minha carreira", afirmou Mourinho nesta quinta-feira. "A evolução, os problemas, as soluções", completou. E ao ser questionado se não era mais tão impetuoso, ele respondeu a um repórter: "Eu sempre fui humilde, mas você não entendeu isso".

E o português destacou que este período de 11 meses sem dirigir um time "não foi perda de tempo". "Estes 11 meses foram um tempo para analisar, para repensar, para preparar e antecipar coisas", disse o comandante, para em seguida garantir que continua sendo um treinador com personalidade forte, fato que o fez ser adorado por muitos e odiado por muitos outros.

"Você nunca perde seu DNA. Você nunca perde sua identidade. Tive tempo de pensar

sobre muitas coisas. Não me pergunte quais são os meus erros. Mas eu percebo durante a minha carreira que cometi erros, mas não cometerei os mesmos erros. Eu vou cometer novos erros", afirmou o comandante, que em sua carreira também esteve à frente do Real Madrid, no qual não conseguiu o sucesso obtido anteriormente por outros clubes em nível continental.

E após tantas experiências em clubes do primeiro escalão da Europa, ele se vê calejado para poder brilhar no comando do Tottenham. "Eu estou mais forte. E quando digo que estou mais forte, é do ponto de vista emocional. Estou relaxado. Estou motivado. Estou pronto. E eu acho que os jogadores sentiram isso nestes dois dias (desde a sua chegada ao clube)", ressaltou Mourinho.

A estreia do treinador em seu novo time ocorrerá no dérbi londrino com o West Ham, neste sábado, quando tentará fazer a sua equipe iniciar uma forte reação no Campeonato Inglês. A equipe ocupa apenas a 14ª posição, com 14 pontos, 11 atrás do Manchester City, quarto colocado e que hoje fecha a zona de classificação à Liga dos Campeões.

O Tottenham não ganha o título nacional desde 1961. E Mourinho foi realista ao projetar os objetivos do time na competição. "Nós não podemos ganhar a Premier League nesta temporada, mas nós podemos ganhá-la na próxima", previu.

Para Entender

Programação de tv

Veja as principais atrações esportivas do dia

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.