Ricardo Duarte/Internacional
Ricardo Duarte/Internacional

De volta à Libertadores após 4 anos, Inter estreia no Chile contra o Palestino

Time colorado busca reviver o período de protagonismo no continente que conseguiu entre 2006 e 2010

Redação, Estadão Conteúdo

06 de março de 2019 | 06h18

De volta à Copa Libertadores após quatro anos, o Internacional quer reviver o período de protagonismo no continente que conseguiu entre 2006 e 2010. Com um elenco maior em relação às últimas temporadas, o time gaúcho estreia no torneio nesta quarta-feira, às 19h15 (de Brasília), fora de casa diante do Palestino, do Chile. O duelo será no estádio San Carlos de Apoquindo, em Santiago.

O Internacional não começou a temporada como o torcedor desejava. Oscilou muito no começo do Campeonato Gaúcho, mas emendou quatro vitórias consecutivas e vem melhorando o seu desempenho. O time colorado tem como trunfo a sua força coletiva, virtude na temporada passada, quando os comandados do técnico Odair Hellmann surpreenderam rivais com elencos mais qualificados no Campeonato Brasileiro e terminaram o torneio entre os quatro que garantiram vaga direta na competição sul-americana.

Nenhum reforço renomado chegou nesta temporada, mas a diretoria se mexeu e trouxe jogadores que podem ser muito úteis neste ano. Um deles é o atacante Rafael Sóbis, que veio do Cruzeiro. O jogador foi um dos protagonistas do período de glórias em que o clube conquistou duas vezes a Libertadores e a Recopa Sul-Americana e uma a Copa Sul-Americana.

Referência técnica, Nico López é o jogador de mais qualidade no elenco que mescla juventude e experiência, e o nome mais capaz de decidir uma partida. O uruguaio, desde 2016 no Internacional, foi o artilheiro da equipe nas duas últimas temporadas e também tem balançado a rede com frequência no início desta.

Após começar a temporada alternando escalações, com rodízio de jogadores, Odair Hellmann conseguiu passar ileso na turbulência que o time viveu por conta de resultados e atuações ruins, mas ainda busca encaixar a equipe, tanto defensiva, como ofensivamente.

Na linha de defesa, qualquer escalação que não tenha Zeca, Moledo, Victor Cuesta e Iago será uma surpresa. As dúvidas quanto à escalação, portanto, são do meio para frente. Pela experiência, Edenilson deve ganhar a disputa com o jovem Nonato no meio. No ataque, Nico López tem vaga garantida junto de, provavelmente, Willian Pottker. A outra vaga será de Pedro Lucas ou Rafael Sóbis. No banco de reservas é provável que esteja o veterano meia D'Alessandro. O argentino tem amargado a presença entre os suplentes e atuado poucos minutos nos primeiros jogos deste ano.

Um dos líderes do grupo colorado, o zagueiro Victor Cuesta afirmou que a equipe não se intimidará por estrear fora de casa. "Nós sabemos a camisa que vestimos. Temos que sair para ganhar em qualquer campo", disse o defensor argentino.

PALESTINO

Prestes a jogar a Libertadores pela quinta vez, o Palestino tem pouca tradição na competição. O time chileno garantiu a vaga na fase prévia do torneio após ser campeão da Copa do Chile em 2018 e confirmou a sua presença no estágio de grupos da competição por ter eliminado Independiente Medellín, da Colômbia, e Talleres, algoz argentino do São Paulo.

Chamado de "El Mago", o meia Luis Antonio Jiménez, de 34 anos, é a grande aposta da equipe para surpreender os favoritos do grupo, River Plate e Internacional, e ir ao mata-mata. Jiménez é experiente e ostenta em seu currículo passagens por clubes importantes do futebol italiano como Internazionale, Fiorentina, Lazio e Parma. Foi do meia veterano o gol que deu o título na Copa do Chile no ano passado e, consequentemente, a classificação à Libertadores. As baixas do time chileno são o zagueiro Guillermo Soto e o meia Julián Fernández.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.